• ELZA SOARES FAZ DOIS SHOW ESTA SEMANA EM SP

         Elza Soares faz dois shows no Sesc Pompeia – um no aniversário de São Paulo, 5.ª-feira (25), às 18h, e outro no dia seguinte, 6.ª-feira (26), às 21h30, no Sesc Pompeia (SP).

         Ela apresenta o  show A Voz e a Máquina em que, ao lado dos DJs Ricardo Muralha e Bruno Queiroz e do guitarrista Caesar Barbosa, une as linguagens abrasileiradas com a cena eletrônica.

    Foto: Patrícia Lino


         O show é uma reunião de clássicos de carreira da artista, além de hits do momento atual em releituras descoladas como Computadores Fazem Arte, A Carne, Mulher do Fim do Mundo, Saltei de Banda e outros clássicos da música popular brasileira. O show ainda ganha um tom de protesto em verso e prosa contra males da sociedade em músicas como ‘Não Recomendado’.
        O quarteto é, ao mesmo tempo, minimalistas na formação e completo musicalmente, como uma orquestra em arranjos sob medida para a voz de Elza. Samples, loops, drum machines e synths são alguns elementos eletrônicos que dão a nova cara ao show; além da voz processada, desconstruída e reconstruída pelas máquinas musicais. Tudo isso embalado por uma sequência de mapping projeções em um cenário totalmente branco que ganha as mais variadas formas, levando o público a viajar durante a apresentação.

  • EDUARDO DUSSEK CELEBRA 40 ANOS DE CARREIRA

         Aos 40 anos de carreira, o cantor, compositor e pianista carioca Eduardo Dussek continua apostando na mistura de música e contação de casos no show que apresenta no sábado (27), às 20 horas, na Tupi or Not Tupi (SP). 
         Espécie de “primo mais velho” do irreverente rock brasileiro dos anos 1980, Eduardo Dussek - que foi MPB, roqueiro, popstar, romântico e hoje se dedica a pesquisar e renovar ritmos de outros carnavais - apresenta-se ao piano tocando e cantando de baladas românticas a músicas mais vibrantes, no Tupi or Not Tupi, no sábado (27), a partir das 20h. O espetáculo faz parte do projeto 5 Sentidos, uma experiência que mistura música e gastronomia.

    Foto: Márcio RM


         Parceiro de João Penca e dos Miquinhos Amestrados e também de Leo Jaime (autor do seu hit Rock da Cachorra, que começa com “troque seu cachorro por uma criança pobre”), Eduardo Dussek começou a tocar piano aos 9 anos de idade. Aos 17 ele dividia espaço numa república com a trupe do emblemático grupo teatral Asdrúbal Trouxe o Trombone. Em 1973, Dussek foi escalado como pianista no espetáculo Desgraças de uma Criança, que trazia no elenco Marieta Severo, Marco Nanini e Wolf Maia. O espetáculo foi um sucesso e permitiu que no ano seguinte ele passasse a se apresentar em shows-solo.
         O jeito performático do artista rendeu um convite feito por Nelson Motta para que Dussek participasse do disco de As Frenéticas, de 1978. Em 1980, foi chamado para o 1º Festival da Nova Música Popular Brasileira. Ele apareceu em rede nacional cabeludo e com asas de anjo para cantar Nostradamus, música apocalíptica em que um sujeito acorda de ressaca e percebe que o mundo está acabando. Assim, ele acabou virando sucesso naquela década quando ainda assinava com o sobrenome de batismo, Dussek.

  • TOQUINHO RECEBE CAMILLA FAUSTINO EM SHOW EM SP

         O cantor e compositor Toquinho faz show na Casa Natura (SP), na 6.ª-feira (19), às 22h30, onde revisita sua carreira e mostra seus grandes sucessos, como Tarde em Itapuã, Regra Três, O Caderno e Aquarela, acompanhado somente de seu violão. Como convidada especial da noite, a cantora Camilla Faustino faz com ele alguns duos, como O velho e a flor e Samba em prelúdio, além de clássicos da música brasileira como Eu sei que vou te amar, Andança e Carinhoso.

    Divulgação


          Antonio Pecci Filho, o Toquinho, nasceu em São Paulo, no bairro do Bom Retiro, em 6 de julho de 1946. Gravou cerca de 85 discos, compôs mais de 500 músicas e já fez mais de 10 mil shows pelo Brasil e pelo exterior. Com 50 anos de carreira, Toquinho prossegue em seus projetos mostrando técnica e sensibilidade em sua aquarela de sons e harmonias que conquistam plateias de todas as idades.
         Toquinho tem como principais parceiros Vinicius de Moraes, Chico Buarque, Jorge Ben Jor, Paulinho da Viola, Francis Hime, Mutinho, Carlinhos Vergueiro, Gianfrancesco Guarnieri,Elifas Andreato e Paulo César Pinheiro, em pérolas como Que Maravilha, Escravo da Alegria, A Casa, O Pato, Na Tonga da Mironga do Kabuletê, Samba de Orly, Carta ao Tom 74, Cotidiano n.º 2, Samba pra Vinicius, Canção pra Jade, Carolina Carol Bela, entre muitas outras. (Fonte:Casa Natura Musical / Vivá Cultural)
         Casa Natura Musical - Rua Artur de Azevedo, 2134, Pinheiros/SP
         Ingressos: de R$ 120,00 a R$ 200,00 ( com meia-entrada para todos os setores)

  • EUMIR DEODATO APRESENTA CLÁSSICOS DA CARREIRA EM SP

      O pianista, arranjador e produtor carioca Eumir Deodato sobe ao palco do Sesc Pompeia (SP) na 5.ª (18) e 6.ª-feira (19), às 2h, no Sesc Pompeia (SP).
         Em formação de quinteto, o músico mostra repertório que passeia pela sua carreira de quase 60 anos, investindo no ecletismo de gêneros como bossa nova, jazz e rock. No palco, Deodato (piano) é acompanhado dos instrumentistas Renato Massa, na bateria, João Castilho, no violão, Orlando Balão, na percussão, e Marcelo Mariano, no baixo. Os arranjos promovem uma mistura funk-jazz-brasileira, usando adaptações de clássicos que ficaram famosos através dos anos.

    Divulgação


         Foi nos Estados Unidos, onde vive desde 1967, que Eumir alcançou o primeiro time dos arranjadores internacionais desde que escreveu, em 1973, o arranjo de Assim falou Zarathustra, de Richard Strauss (canção incluída na trilha sonora do filme “2001: Uma Odisseia no Espaço”).
         Entre as centenas de parcerias, Deodato já esteve presente em gravações de Aretha Franklin, Kool & The Gang, Björk, K.D. Lang e Milton Nascimento, entre outros. No total, o músico participou como compositor, arranjador, produtor ou instrumentista de mais de 450 discos, ganhou 16 discos de platina, além de ter levado para casa, em 1974, um Grammy Awards na categoria Melhor Performance Pop. (Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc Pompeia)
        Sesc Pompeia (Teatro) – Rua Clélia, 93, Lapa/SP
        Ingressos: de R$ 9,00 a R$ 30,00

  • LÔ BORGES ENCERRA A PROGRAMAÇÃO MUSICAL DO ANO DO SESC POMPEIA (SP)

         O cantor e compositor Lô Borges sobe ao palco do Sesc Pompeia no sábado (16), às 21h, e no domingo (17), às 18h, para tocar, na íntegra, as faixas do LP Lo Borges (1972), que ficou conhecido como o Disco do Tênis (em referência à foto escolhida para ilustrar a capa do trabalho). As apresentações encerram a programação musical do ano da unidade.

    Foto: Flávio Charchar


        No início dos anos 1970, após a gravação do disco Clube da Esquina, Lô Borges lançou seu primeiro trabalho solo, eternizado como o Disco do Tênis. O artista, então com 19 anos, conta que compunha de dia as canções que seriam gravadas à noite, em um processo que contribuiu para que se formasse um clássico constantemente redescoberto por diversas tribos ao longo dos últimos 45 anos.
        No lirismo de canções como O Caçador e Faça seu Jogo, na psicodelia de Não foi Nada e Aos Barões ou na atmosfera progressiva de Fio da Navalha, o álbum é marcado por um mergulho experimental do artista mineiro. No show que será apresentado no Sesc Pompeia, Lô Borges toca o Disco do Tênis na íntegra, além de apresentar outros sucessos da década de 1970. (Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc Pompeia)
         Sesc Pompeia (Comedoria) – Rua Clélia, 93, Lapa/SP
        Ingressos: de R$ 9,00 a R$ 30,00

  • OSWALDINHO DO ACORDEON FAZ SÉRIE DE SHOWS NA CAIXA CULTURAL SP

        O músico Oswaldinho do Acordeom mostra seu virtuosismo na capital paulista numa série de show na Caixa Cultural. Ele apresenta o show Forró Ferroz de 5.ª-feira (14) a domingo (17) sempre às 19h15, com entrada franca.
         No show Forró Ferroz, Oswaldinho conduzirá o público numa grande viagem pela música tradicional nordestina, com foco em suas raízes. Ele estará acompanhado por um trio de músicos formado por Ramon Vieira (voz e triângulo), Pablo Moura (sanfona) e Zito Menezes (zabumba).

    Foto: Edson Degaki


        No repertório estarão composições e parcerias marcantes de sua autoria como Um tom pra Jobim, Forró Feroz e Jeito Barroco, além de sucessos dos principais contribuintes para a história do forró como Dominguinhos (Nilopolitano),Sivuca (Feira de Mangaio),Jackson do Pandeiro (Sebastiana), além de, é claro, seu pai, o músico Pedro Sertanejo, precursor do forró em São Paulo. (Fonte: Sylvio Novelli - Assessoria em Comunicação)
        Caixa Cultural São PauloPraça da Sé, 111, Centro/SP – próximo à estação Sé do Metrô
        Grátis

     NAÇÃO ZUMBI LANÇA DISCO DE  RELEITURAS NO SESC POMPEIA (SP)

         A banda Nação Zumbi faz uma série de três shows na Comedoria do Sesc Pompeia (SP) para lançar o CD Radiola NZ Vol. 1, seu primeiro disco composto somente de releituras. As apresentações, que ocorrem na 6.ª-feira (15) e no sábado (16), às 21h30, e domingo (17), às 18h30, encerram a programação musical do ano na unidade.

    Divulgação


         Formado por Jorge Du Peixe (voz), Lúcio Maia (guitarra), Dengue (baixo), Pupillo (bateria), Toca Ogan (percussão), Marcos Matias, Tom Rocha e Da Lua (alfaias), o grupo toca versões “zumbificadas” de músicas importantes na história da banda, como Refazenda (Gilberto Gil) e Amor (Secos & Molhados), entre outras.
         Espécie de playlist em forma de disco, “Radiola NZ Vol. 1” coleciona inspirações musicais do quinteto, que nos últimos anos garimpou as canções que mais lhe traziam boas lembranças. Além de Refazenda, que abre o disco, (João Ricardo e João Apolinário, 1974), Não Há Dinheiro que Pague (Renato Barros, 1968), Do Nothing (Lynval Golding, 1980), Dois Animais na Selva Suja da Rua (Taiguara, 1971), Tomorrow Never Knows (John Lennon e Paul McCartney, 1966), Sexual Healing (Marvin Gaye, Odell Brown e David Ritz, 1982) e Ashes to Ashes (David Bowie, 1980).
         As apresentações da banda Nação Zumbi no Sesc Pompeia fazem parte do projeto Plataforma, que engloba o lançamento de shows musicais inéditos, CDs e DVDs. (Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc Pompeia)
        Sesc Pompeia (Comedoria) – Rua Clélia, 93, Lapa/SP
        Ingressos: de R$ 12,00 a R$ 40,00

  • TRATORE PARTICIPA DA SEMANA INTERNACIONAL DE MÚSICA

         Nina Becker, Almerio, Airton Monterroyos e Ekena sobem ao palco da Tupi or Not Tupi (SP), no sábado (9), às 21h30, para celebrar os 15 anos da Tratore, a maior distribuidora independente de música no Brasil. As apresentações integram a programação da Semana Internacional dE Música (SIM) de São Paulo, que ocorre de 6 a 10, no Centro Cultural São Paulo.
         A cantora e compositora carioca Nina Becker (RJ) interpreta o repertório de seu álbum Acrílico, o primeiro autoral desde Azul e Vermelho (2010). Nina Becker começou sua trajetória artística na Orquestra Imperial, ao lado de Kassin, Thalma de Freitas, Moreno Veloso e Rodrigo Amarante. Antes do primeiro disco, foi premiada Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), em 2009, como melhor cantora e citada pela revista Bravo! como uma das artistas mais influentes da sua geração. Em 2010, lançou dois álbuns, Azul e Vermelho (YB), seguido em 2014 por Minha Dolores (Joia Moderna), em que apresenta releituras de Dolores Duran.

    Divulgação


        Já a cantora Ekena Monteiro se apresenta acompanhada por Vínicius Lima (voz e violão), Gabriel Planas (baixo), Rodrigo Bottari (guitarra e arranjos), Israel Reinaldo (bateria), William de Paula (piano, escaleta e ukulele), Alvaro Malheiros (metais) e Luis Octavio Rocha (percussão), se desmanchando no palco e levando o público do riso ao choro com sua performance e voz marcante. , primeiro álbum de Ekena, conta com 13 faixas autorais que passeiam pelo folk, rock e MPB. As canções intimistas e densas trazem à tona os relacionamentos interpessoais e a luta incessante em ser mulher em meio a uma sociedade machista.
        O pernambucano Almério deve apresentar composições de seus dois álbuns solos lançados: o independente e homônimo, Almério, e Desempena, lançado com o apoio do programa Natura Musical. Almério nasceu em Altinho e vive há anos em Caruaru. Em 2004 passou a acompanhar a banda de pífanos Zé do Estado, após o início da carreira cantando em bares e atuando em peças teatrais da cidade. Com seu belo timbre vocal e performance provocativa, influenciada pelo teatro, aposta na força da canção e apresenta um trabalho autoral com muita personalidade.
          Ayrton Montarroyos apresenta repertório de seu disco de estreia, Ayrton Montarroyos, em que coloca sua voz suave e sua assinatura clássica em faixas originalmente compostas por artistas como Cartola, Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz e Sombrinha, Caetano Veloso, Lula Queiroga, Tibério Azul, Graxa e Zeca Baleiro.

  • FESTIVAL SERRINHA TEM INÍCIO NA 4.ª-FEIRA (6), COM CURADORIA DO PIANISTA BENJAMIM TAUBKIN

         A quinta edição do festival Serrinha Instrumental ocorre de 4.ª-feira (6) a domingo (10), no bairro da Serrinha, na zona rural de Bragança Paulista (SP).

        Com curadoria do pianista Benjamim Taubkin, o evento reúne residência musical e apresentações de Carlos Malta, Jaques Morelenbaum, Guilherme Kastrup, Duofel, Lulinha Alencar, Mestrinho, Meno del Picchia, Guegué Medeiros e Jovi Joviniano.


       “Cada um destes artistas irá discorrer sobre aspectos do seu trabalho. Os bolsistas participantes terão acesso a conhecimentos específicos do campo da música, mas também outros ligados à produção, gravação e conversas sobre caminhos possíveis e desejáveis na profissão”, explica Taubkin.

         O Serrinha Instrumental ocupa a Fazenda Serrinha, o Teatro Rural e o Galpão Busca Vida. Os shows são gratuitos, exceto no Galpão Busca Vida.

     

  • O 'TIO' LAÉRCIO DE FREITAS CELEBRA 45 ANOS DE SEU DISCO DE ESTREIA

         O pianista, maestro, arranjador, compositor e regente Laércio de Freitas,um dos nomes mais conceituados da música instrumental brasileira, sobe ao palco do Sesc Pinheiros (SP), na 6.ª-feira (1.º), às 21h. O show tem participação especial de Max de Castro e Adriana Godoy.

    Foto: Marco Aurélio Olimpo


         O músico está comemorando 45 anos do LP Laércio de Freitas e o Som Roceiro, seu disco de estreia, com o lançamento do CD homônimo. O novo disco traz duas faixas adicionais com a participação de Arismar do Espírito Santo e Thalma de Freitas.

       Álbum-referência, Laércio de Freitas e o Som Roceiro exala brasilidade, adentra as raízes interioranas e flerta com o então recém-criado rock nacional – também chamado de rock rural - e a liberdade dos anos 70. O disco é formado por quatro músicas instrumentais, maioria autoral, além de sucessos cantados, como a sua Capim Gordura, Chuva, Suor e Cerveja, de Caetano Veloso, e Mammy Blue, de Hubert Giraud.
         No palco, o pianista é acompanhado por Shen Ribeiro e João Poleto (flautas), Júnior Alves (violão de seis cordas), Hércules Gomes (piano elétrico), Hurgo Paulino (contrabaixo elétrico), Celso de Almeida (bateria) e Cleber Almeida (percussão). Além do piano, Laércio assina também os arranjos e direção do espetáculo. Fonte: Baobá Comunicação)
         Sesc Pinheiros (Teatro Paulo Autran) – Rua Paes leme, 195, Pinheiros/SP. Fone: (11) 3095 9400.
          Ingressos: de R$ 12,00 a R$ 40,00

  • BELCHIOR GANHA RELEITURAS NO SESC POMPEIA (SP)

         Com direção artística de Gero Camilo e direção musical de Rovilson Pascoal, o Sesc Pompeia apresenta o show Amar e mudar as coisa me interessa mais, em homenagem a Belchior (26/10/1946 a 30/4/2017). As apresentações ocorrem na 6.ª-feira (1.º) e no sábado (2), às 21h30, na Comedoria da Unidade.

    Divulgação


         Jorge Mello, parceiro de composições, Ednardo, com quem Belchior frequentemente dividia o palco, além dos admiradores Ceumar e Gero Camilo se revezam no palco, cantando a história do compositor e cantor, por meio de um repertório repleto de clássicos de vários discos, como Na Hora do Almoço (Um Concerto Bárbaro: Acústico ao Vivo, 1995), Alucinação e Apenas um Rapaz Latino Americano (Alucinação, 1976), Galos noites e quintais e Paralelas (Coração Selvagem, 1977), Mucuripe (música lançada em 1972, em parceria com Fagner, e gravada por Elis Regina e Roberto Carlos), entre outras.
         As apresentações contarão com a Banda Radar, que tocou com Belchior entre 1986 e 1994 e retomou as atividades sem o cantor em 2013. A parceria rendeu a gravação de dez álbuns. Antes de Belchior, a banda tocava ao lado de Raul Seixas – e foi assim que o artista cearense os descobriu e os convidou a ser sua banda de apoio.

  • TOM JOBIM É HOMENAGEADO NO TEATRO RIVAL PETROBRAS (RJ)

         O Teatro Rival Petrobrásd apresenta na quarta-feira (15) às 19h30, o show Um Tom de Saudade, em homenagem ao maetro soberano.

        Com direção musical e os arranjos originais dos maestros Rafael Barros Castro (piano e voz) e Jaime Alem (violão e voz), o show contará com o quinteto de cordas da Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro (OSRJ) e a cantora Nair Cândia.

    Divulgação

         A seleção musical é abrangente e significativa, exaltando a grandiosidade obra de Tom Jobim. O público vai ouvir, entre outras composições, Caminhos cruzados, Chega de saudade, Anos dourados, Sabiá e Teresa da Praia. O Quinteto de Cordas da OSRJ é formado por André Cunha (violino I), Leonardo Fantini (violino II), Bernardo Fantini (viola), João Bustamante (violoncelo) e Cláudio Alves (contrabaixo acústico)
         Teatro Rival Petrobras - Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Centro/Cinelândia/RJ. Fone: (21) 2240-9796
         Ingressos: de R$ 25,00 a R$ 60,00

  • EDY STAR RECEBE ZECA BALEIRO E CIDA MOREIRA NA CASA NATURA (SP)

         Uma das figuras mais icônicas do glam rock brasileiro, com quase 80 anos de idade e mais de 60 anos de carreira, o cantor e compositor Edy Star lança novo disco, após um hiato de 44 anos.

         Em Cabaré Star – O Show, Edy Star convida Maria Alcina, Cida Moreira, Ciro Barcelos (Dzi Croquettes), Odair José e Zeca Baleiro.

         A apresentação ocorre na quarta-feira (15), às 22h30, na Casa Natura Musical (SP).

    Reprodução


         Edy reuniu ídolos, parceiros e amigos, que aparecem em composições e participações especiais. Cabaré Star abre com Eu Fiz Pior, de Lula Cortes, traz O Que Será de Nós?, inédita de Sergio Sampaio; Você É Seu Melhor Amigo, de Miriam Batucada; e o primeiro registro de Procissão feito por Edy, desta parceria com Gilberto Gil (de 1967, mas só recentemente creditada) que ganhou arranjo renovado, com molho de samba de roda e chula baiana.

         O disco também inclui Rock’n’roll é Fodaço, inédita de Edy que saiu em lyric vídeo em primeira-mão, antecipando o lançamento de Cabaré Star.

  • CARLOS NAVAS E GUGA STROETER HOMENAGEIAM O NOUVELLE CUISINE

         O Nouvele Cuisine, quinteto paulistano de jazz completaria 30 anos de existência em 2017. E para celebrar e revisitar o trabalho do grupo, os músicos Carlos Navas e Guga Stroeter fazem show em homenagem ao quinteto Nouvelle Cuisine, na sexta-feira (13), às 21h30, na Tupi or not Tupi.

         Navas juntou-se a Stroeter, um dos músicos fundadores do Nouvelle para criar esse show-homenagem que visitará as distintas vertentes do grupo. Na primeira parte do concerto, Navas mostrará sua interpretação personalíssima sobre transcrições dos arranjos jazzísticos do Nouvelle.

    Foto (reprodução): Victor Soldano

     

         A parte central do show será dedicada às canções emblemáticas do quinteto, como Embraceable You, Blues in the Night, Day Dream, St Louis Blues, Notas e My Funny Valentine. E na parte final, serão apresentados arranjos inéditos, seguindo rigorosamente a estética criada por Nouvelle Cuisine, para canções brasileiras do repertório de Carlos Navas: Nada Além (Custódio Mesquita/ Mário Lago), Se Você Jurar (Ismael Silva/ Nilton Bastos/ Francisco Alves) e Quando o Samba Acabou (Noel Rosa).

       Os músicos Guga Stroeter (vibrafone e bateria), Carlos Navas (voz), Dino Barioni (violão), Pablo Lyon (baixo acústico) e Eliasafe Costa (clarinete) terão a companhia dos demais integrantes originais do Nouvelle (Carlos Fernando, Luca e Maurício), que serão os convidados especiais da apresentação.

        Tupi or Not Tupi - Rua Fidalga 360, Vila Madalena - Fone: (11) 3813-7404
        Ingressos: R$ 55,00

  • GUILHERME ARANTES APRESENTA SEU 27.º DISCO

         O cantor e compositor Guilherme Arantes faz show de lançamento de seu 27.º álbum, Flores e Cores, no Sesc Pompeia, no sábado (14), às 21h30, e no domingo (15), 18h30.

    Divulgação

         Guilherme, que também assume os teclados, sobe ao palco ao lado de Luiz Sérgio Carlini (guitarra, violões e lap steel guitar), Gabriel Martini (bateria, cajon e percussões), Willy Verdaguer (baixo) e Alexandre Blanc (guitarras e violões). No repertório, estão, além dos sucessos de sua carreira, como Cheia de Charme e Coisas do Brasil, as canções Semente de Maré e A Simplicidade É Feliz, presentes em seu novo álbum.
         Nos anos 1970, Guilherme emplacou temas de novelas (Meu Mundo e Nada Mais, Cuide-se Bem, Amanhã), canções duradouras como Êxtase e abriu os anos 1980 com o sucesso de ‘Aprendendo a Jogar’ (na voz de Elis Regina). A partir daí, os hits Deixa Chover, Planeta Água, O Melhor Vai Começar, Lance Legal, Pedacinhos e Loucas Horas começaram a tocar nas rádios do país. Além dos sucessos radiofônicos, o artista paulistano tem composições em especiais infantis (Lindo Balão Azul, em Pirlimpimpim, e Brincar de Viver, com Bethânia, em Plunct Plact Zum). (fonte: Assessoria de Imprensa Sesc Pompeia)
         Sesc Pompeia (Comedoria) – Rua Clélia, 93, Lapa/SP
         Ingressos: de R$ 12,00 a R$ 40,00

  • PAI E FILHA JUNTOS NO PALCO

         Thalma de Freitas e Laércio de Freitas, pai e filha, se apresentam na Tupi or not Tupi (SP), na 5.ª-feira (28), às 21h.
        O arranjador, compositor, pianista e maestro Laércio de Freitas começou a estudar piano aos cinco anos de idade. Desde 1966, os músicos possuem uma carreira internacional fazendo shows na Europa, Ásia e México. No final dos anos 60, ele substituiu o músico Luiz Eça, no grupo Tamba 4. O 'Tio, como é chamado,' acompanhou artistas como Ivan Lins, Maria Bethânia, Marcos Valle, Wilson Simonal, Nancy Wilson, The Supremes, Clara Nunes, Emílio Santiago e muitos outros e fez arranjos para o LP Quem é Quem, gravado por João Donato, em 1973.

    Reprodução

         A cantora e atriz Thalma de Freitas, primogênita de Laércio e Piki, carrega com orgulho o codinome "a filha do maestro". A cantora vive em Los Angeles desde 2012 e fez a estreia profissional em uma produção brasileira do musical Hair, em 1992. Thalma estrelou inúmeros programas de televisão brasileiros e estreou a carreira como cantora e compositora em um álbum solo auto-intitulado, em 2004. Além de crooner da banda carioca Orquestra Imperial, sua musicalidade e visão levaram a uma grande variedade de colaborações com músicos contemporâneos e lendários, como João Donato, Caetano Veloso, Gal Costa, Céu, Anelis Assumpção, Filipe Catto, Jaloo, Gaby Amarantos, Quantic, Georgia Anne Muldrow e Kamasi Washington.
         Tupi or Not Tupi - Rua Fidalga 360, Vila Madalena - Fone: (11) 3813-7404
         Ingressos: R$ 55,00

     

  • TULIPA RUIZ PARTICIPA DO PROJETO ESQUINA PAULISTANA

        De terça-feira (26) a quinta-feira (28), o Sesc 24 de Maio (SP) recebe o projeto Esquina Paulistana, em que artistas do cenário musical se apresentam juntos, misturando diferentes estilos. A primeira edição acontece no teatro, na terça,às 21h, na quarta às 12h e quinta em dua sessões: às 12h e às 21h.

         Sob comando do músico Maurício Pereira, os shows são resultado de encontros inéditos para cantar e contar a paulistanidade em releituras da música da cidade, nas vozes de Clemente, Paulo Miklos, Suzana Salles, Thaíde e Tulipa Ruiz.

    Foto: Rodrigo Schmidt

     

         No palco, os ritmos vão do pagode ao punk, passando pelo rap e repertório que traz Não Se Vá (Jane e Herondy), Porrada (Titãs), Sr. Tempo Bom (Thaíde), Ovelha Negra (Rita Lee), Efêmera (Tulipa Ruiz), Rua Augusta (Ronnie Cord), Caroline (Raça Negra), Não Existe Amor Em SP (Criolo), entre muitas outras.

         Para acompanhar, uma banda especialmente formada para as apresentações, com músicos de diversas gerações: na bateria, Carneiro Sândalo (Karnak, Zé Geraldo, Marisa Orth, Sambasonics); no baixo, Henrique Alves (Edgard Scandurra, Arnaldo Antunes, Projeto B); na guitarra e violão de aço, Tonho Penhasco (Itamar Assumpção, Skowa e Mafia, Mauricio Pereira); nos teclados, Pedro Montagnana (Zeeba, Mauricio Pereira, Alma Djem); na flauta e sax, Simone Julian (Chico Cesar, Anelis Assumpção, Dona Zica, Beto Villares); no trompete e bombardino, e Amílcar Rodrigues (DJ Tudo, Projeto B, Thiago França, O Terno).
         Sesc 24 de Maio - Rua 24 de Maio, 109, Centro/SP. Fone: (11) 3350 6300
         Ingressos: de R$ 12,00 a R$ 40,00

  • BANDA MANTIQUEIRA SE APRESENTA NO BOURBON STRRET (SP)

       A Banda Mantiqueira participa, na 3.ª-feira (19), às 21h, do projeto Jazz.Br, no Bourbon Street (SP). No repertório, algumas músicas do novo álbum Com Alma, recém lançado.
         Formada por músicos de renome e qualidade indiscutíveis, a banda tem à frente Nailor Azevedo, o Proveta. Em seu repertório, além de algumas composições que integram o novo CD Com Alma, estão Cartola, Luiz Gonzaga, Pixinguinha, Dorival Caymmi, João Bosco e composições próprias, entre elas Prêt-à-Porter de Tafetá (João Bosco e Aldir Blanc), À Procura (Nailor Proveta), Com Alma (Dizzy Gillespie), Segura Ele( Pixinguinha) e Linha de Passe(João Bosco).

    Foto: Claudia Mifano


         Com ênfase no naipe de sopros e na percussão, com forte sotaque brasileiro, a Mantiqueira também conquistou seu lugar na cena da música instrumental dançante, notadamente em São Paulo, com repertório que inclui principalmente gafieiras, sambas, choros e bossa nova.
        A Banda Mantiqueira começou em 1991 tocando em bares. Primeiro no Sanja, templo musical por onde passou a nata dos instrumentistas de São Paulo. Depois, lotou por quatro anos, todas as segundas-feiras, o Vou Vivendo, também um local de boa música. De março de 1997 a 2004, apresentou-se no Supremo Musical, todas as terças-feiras, sempre com casa lotada.
         O primeiro disco foi Aldeia, lançado em 1996 pela Pau Brasil e em seguida no mercado externo. Por esse disco foram indicados ao Grammy de 1998 na categoria na categoria Melhor Performance de Jazz Latino. CD Terra Amantiquira ganhou o Prêmio Tim de Música Edição 2006 – como Melhor Álbum de Música Instrumental. Nessa mesma categoria, foi indicada e nominada ao Grammy Latino 2006.

  • MARTINHO DA VILA CELEBRA 80 ANOS AO LADO DA BATERIA DA UNIDOS DE PERUCHE

         O cantor e compositor Martinho da Vila e a bateria da Unidos do Peruche fazem shows na Casa Natural Musical (SP), na 6.ª-feira (22) e no sábado (23), às 22h. Martinho apresenta o show De Bem com a Vida e abre as comemorações de seu aniversário de 80 anos, e a Unidos de Peruche mostra o enredo do Carnaval 2018, que homenageará Martinho da Vila.

         A escola contará com a com a presença da bateria, do intérprete Toninho Penteado, da rainha de bateria, Stephanye Cristinne, passistas, mestre-sala e porta-bandeira.

    Foto: Leo Aversa


         Depois de 9 anos, Martinho da Vila apresenta novo trabalho com músicas inéditas, muitas delas já chamadas de “novos clássicos”, como Amanhã é Sábado, com instigante letra sob o ponto de vista feminino, e Escuta Cavaquinho, um delicioso diálogo entre um cavaquinho e um violão, primeira parceria com o poeta mineiro Geraldo Carneiro, onde se ouve: “Escuta, cavaquinho, as minhas preces / se não, o tempo passa, a gente esquece / esquece de aprontar a fantasia / de celebrar a dor e a alegria”.
        Com direção de André Midani, marcando sua volta aos palcos depois de muitos anos, e codireção do seu filho, Preto Ferreira, Martinho da Vila mostra também clássicos paulistanos de Adoniran Barbosa (Apaga o Fogo, Mané) e Paulo Vanzolini (Volta Por Cima). E não poderiam faltar seus grandes sucessos como Disritmia, Tom Maior, O Pequeno Burguês e Canta Canta Minha Gente, todos compostos pelo próprio Martinho, além de sua adaptação do canto de lavadeiras Madalena do Jucú. De Bem Com a Vida traz uma nova sonoridade, focando violão, cavaquinho e suave percussão, trazendo de volta o clima de seu primeiro disco, lançado em 1969.

  • CELSO E PEDRO VIÁFORA MOSTRAM PARCERIAS DE PAI E FILHO

         Celso e Pedro Viáfora sobem ao palco da Tupi or Not Tupi (SP) na 5.ª-feira (14), às 21h, para apresentar composições autorais e parceria entre eles.

    Divulgação


        O compositor, cantor, violonista e agora também romancista Celso Viáfora está na estrada para lançar Amores Absurdos, conjunto inédito de obras que reúne seu primeiro romance, seu nono CD (com as 14 canções compostas como trilha sonora do livro) e um e-book (no qual o leitor pode, durante a leitura, clicar no link ao pé da página e ouvir a música que emoldura a cena literária), promovendo, de forma inovadora, a fusão de literatura e música.

        Já Pedro é compositor, cantor e violonista e, atualmente, percorre o país com dois trabalhos: o show de divulgação do seu primeiro CD solo, Feliz pra Cachorro, e a turnê do show de preparação para gravação do segundo DVD e terceiro CD do seu grupo, o 5 a Seco, intitulado Síntese. Aos 28 anos, seja em carreira solo ou nos dois CDs e um DVD do grupo musical que o tornou conhecido para o grande público (o coletivo de compositores 5 a Seco é formado por ele e mais Léo Bianchini, Pedro Alterio, Tó Brandileone e Vinicius Calderoni), mesmo jovem, já demonstra a mesma maturidade musical do pai, adquiridas em mais de uma centena de shows que realizou em seus 6 anos de carreira.
        Tupi or Not Tupi - Rua Fidalga 360, Vila Madalena - Fone: (11) 3813-7404

    NÁ OZZETTI E LUIZ TATIT SE ENCONTRAM NA FUNARTE/SP

        A cantora Ná Ozzetti e o compositor Luiz Tatit participam do Projeto Funarte Musical no sábado (16), às 21h. O show marca o reencontro dos músicos no local onde costumavam tocar no início de suas carreiras, na década de 1980, quando participavam do Grupo Rumo.

    Foto: Alessandra Frautus

        Com uma formação reduzida (violão e vozes), os artistas retomam canções que marcaram a época da vanguarda paulistana, entre elas Ah!;Delírio, Meu!;Ladeira da Memória; Felicidade; e Dia Útil. Os músicos também apresentam obras que vêm sendo gravadas até hoje em seus álbuns-solo, como Estopim, Atração Fatal, Crápula, Capitu e Musa da Música.

       Com curadoria de Carlos Calado e Robert Suetholz, o Projeto Funarte Musical faz parte das comemorações dos 40 anos da regional paulistana. Foram convidados artistas, bandas e conjuntos musicais que, de algum modo, têm relação com a história da Sala Guiomar Novaes. Nos anos 1970 e 1980, a intensa programação da sala ajudou a promover grandes nomes da cena alternativa, como Itamar Assumpção e Arrigo Barnabé.(Fonte: Site Funarte)
        Sala Guiomar Novaes (Complexo Cultural Funarte SP) - Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos/SP. Fone:(11) 3662-5177
       Ingressos: R$ 20,00 (R$ 10,00 - meia)


        

  • IVAN LINS E RAFAEL ALTÉRIO FAZEM TRÊS SHOWS NO SESC 24 DE MAIO (SP)

         Ivan Lins e Rafael Altério apresenta o show Atrás Poeira no Sesc 24 de Maio no sábado (16) ao meio-dia e às 21h, e no domingo (17), às 18h.

    Divulgação

         No show, os compositores e cantores - e amigos - vão além de seus trabalhos mais aclamados. Dividem composições e interpretações que, sem deixar de lado suas respectivas influências, lançam sua visão do universo caipira, das coisas mais simples, da terra, dos valores, histórias e imagens brasileiras.
        A proposta é unir a música tradicional a uma linguagem contemporânea num repertório que inclui Sertaneja, Saudades de Casa (Ivan Lins e Vitor Martins), Habanera (Ivan Lins) eÁgua de Mina, Até Quando Deus Quiser e Paçoca, Costelinha e Ovo Frito (Rafael Altério e Rita Altério).
        A dupla apresenta-se acompanhada de Neymar Dias na viola, Luiz Ribeiro no violão, Igor Pimenta no baixo, Alberto Correia na sanfona, Marco Brito no teclado e Gabriel Altério na bateria. (Fonte: Sylvio Novelli – Assessoria em Comunicação).
        Sesc 24 de Maio - Rua 24 de Maio, 109, Centro/SP. Fone: (11) 3350 6300
        Ingressos: de R$ 12,00 a R$ 40,00