• MOMBOJÓ FAZ SHOW DE LANÇAMENTO DO FILME E TRILHA SONORA DE "DESÁGUA"

    CANCELADO

    Prestes a completar duas décadas de atividade, o grupo pernambucano Mombojó começa o ano de 2020 com vários lançamentos: “Deságua” (filme) e “Trilha Sonora Original do Filme Deságua” (álbum).

    A apresentação inédita e na íntegra do filme e do álbum ocorre no Sesc Pinheiros (SP), na sexa-feira (20), às 21h.

     

    Ao longo de 2019, Mombojó apresentou nove músicas, acompanhadas de seus repectivos clipes, sob o rótulo de “MMBJ12” - a apresentação não seguiu uma ordem cronológica. Agora em março, a banda apresenta as três canções com seus clipes restantes, totalizando 12 músicas e 12 clipes, dando corpo ao álbum “Trilha Sonora Original do Filme Deságua”.

    Foto: Luan Cardoso

     

    Entre os colaboradores das últimas faixas do trabalho, estão Guilherme Arantes, Sofia Vaz, da banda carioca Baleia, e Hervé Salters, do grupo francês General Elektriks. Já, a união cronológica dos clipes dá vida ao filme “Deságua”, longa-metragem realizado pelo diretor Luan Cardoso.

    "Desde o nosso primeiro disco que temos vontade de fazer nossas músicas alcançar outros formatos e mídias, quase sempre as canções já são compostas com algum tipo de associação visual”, explica o tecladista Chiquinho. “O incrível desta vez foi encontrar um diretor instigado a encarar essa empreitada de fazer doze clipes - e a partir disso pensamos que eles poderiam ser um filme e até passar no cinema, com a gente fazendo a trilha ao vivo. O que era só uma lombra inicial se concretizou no primeiro filme do Mombojó!".

  • MART'NÁLIA CANTA VINÍCIUS DE MORAES EM SP

    CANCELADO

    A cantora Mart’nália apresenta, em duas noites, repertório baseado no disco que garantiu sua vitória no Grammy Latino de Melhor Álbum de Samba/Pagode: Mart’nália Canta Vinicius de Moraes. As apresentações ocorrem na sexta-feira (20) e sábado (21), às 22h, na Casa Natura Musical (SP)

     

    Vinícius de Moraes sempre esteve presente no repertório de Mart’nália, mas agora o "poetinha" ganhou um disco inteiro em sua homenagem. No repertório, clássicos como Tarde em Itapoã, A Tonga da Mironga do Kabuletê, Eu Sei Que Vou Te Amar e mais.

    Foto: Eny Miranda

     

    Amparada nos arranjos de Celso Fonseca em parceria com Arthur Maia, a voz rasgada e suave de Mart’nália traduz o amor pelas mulheres, a compaixão pelos desfavorecidos, a impaciência com os medíocres e tudo o que é motivação para os versos sempre tão bem construídos de Vinicius, numa linguagem íntima porém desacorrentada.

     

    Casa Natura Musical - Rua Artur de Azevedo, 2134, Pinheiros/SP. Fone: (11) 3031-4143

    Ingressos: de R$ 40,00 a R$ 180,00

     

    Fonte: Assessoria de Imprensa Casa natura Musical

  • SELO SESC LANÇA ÁLBUM DUPLO DE GERALDO FILME

    O samba paulista de Geraldo Filme ganha álbum duplo lançado pelo Selo Sesc e show no Sesc Belenzinho (SP).

    Intitulado ‘Tio Gê - O Samba Paulista de Geraldo Filme’, o projeto conta com 20 releituras nas vozes várias cantoras, que se apresentam nos shows em duas noites.


    O primeiro deles, ocorre na sexta-feira (13), às 21h, com as cantoras Alaíde Costa, Amanda Maria, Ellen Oléria e Graça Cunha, além da atriz Cleide Queiroz.

    Já no sábado, também às 21h, é a vez de Áurea Martins, Fabiana Cozza, Luciah Helena, Virgínia Rosa (foto abaixo) e, novamente, a atriz Cleide Queiroz.

    Reprodução site

    Geraldo Filme de Souza nasceu em 1927, na capital paulista, em um período em que o Carnaval era reflexo das festividades europeias.

    A figura negra era marginalizada e tampouco comum na imersão de marchinhas. Foi então, aos dez anos, que compôs o primeiro sucesso: Eu vou mostrar.

    Poético e promissor, o jovem criou a canção para provar ao pai, Sebastião, que existia samba de verdade na terra da garoa. Apesar da pouca idade, a crítica social já era sentida na letra: “Somos paulistas e sambamos pra cachorro. Pra ser sambista não precisa ser do morro”.

    Alaíde Costa - Divulgaçao

    Parte respeitável da memória cultural de São Paulo, Seu Geraldo, Corvão, Negrinho das Marmitas, Geraldão da Barra Funda ou apenas Tio Gê, dividia-se entre o extinto Largo da Banana, na região da Barra Funda, local considerado o berço do samba paulista, com Pirapora de Bom Jesus. Foi por meio de rodas de tiririca (jogo de pernadas ao som do samba paulista com batucadas em latas de engraxate), samba de bumbo, choro, samba rural e valorização de manifestações artísticas negras, que o compositor fez história e mantém a essência dele viva.

  • CANTORA PERUANA MARTHA GALDOS MOSTRA O SHOW COLORES, COM CONVIDADOS BRASILEIROS

    Na quarta-feira (11), às 21h, o Sesc 24 de Maio recebe o show “Colores”, da peruana Martha Galdos, cantora e compositora poliglota, que reinterpreta e funde ritmos sul-americanos com diferentes aspectos do jazz e da world music.

    Neste show, a artista apresenta canções inspiradas em seu processo de vida, na conexão com seus antepassados e conta ainda com participações dos músicos brasileiros Dante Ozzetti, Patrícia Bastos e Simone Sou.

    A música peruana vive um momento a ser descoberto pelos continentes. A presença de sangue das primeiras civilizações indígenas do continente, diluídas por outros sul-americanos, faz a diferença mesmo na nova geração urbana de artistas peruanos.

    Foto: Edilberto Leon

    A voz de Martha Galdos surge desse amálgama particular dos latinos meridionais, que herdam a música dos Andes, da selva e da costa e se alimentam de vizinhos distantes, como o jazz dos EUA, e de países das fronteiras.

    Sobre Martha Galdos - Aos 36 anos, filha do pintor e cantor Enrique Galdos Rivas, Martha faz do palco a sala de casa e do repertório de seu álbum 'Respiraré' a própria biografia. Do Brasil, anda em campo minado ao pensar em uma versão para 'Upa Neguinho', definitiva na voz de Elis Regina, mostrando a que veio. A divisão rítmica que tira a canção de seu lugar mais confortável e que faz valer a releitura é a de um típico festejo peruano, com a harmonia do piano de Pepe Céspedes e a percussão de Leonardo 'Gigio' Parodi.

    Os peruanos da 'Vieja Escuela' ganham leituras revigoradas em 'El Tamalito' e 'Negra Presuntuosa', de Andres Soto; 'El Picaflor', de Rosendo Huirse e Carlos Emanuel; 'Cardo o Ceniza' e 'Fina Estampa', de Chabuca Granda; 'El Cóndor Pasa', de Daniel Alomía Robles; e da anônima 'Ingá'. Entra também à francesa 'Sous le Ciel de Paris', de Giraud, C, Soc e J.A.Brun, de 1951.

  • GUINGA CELEBRA 70 ANOS COM SHOWS AO LADO DE CANTORAS

    O músico e compositor Guinga celebra seus 70 ao lado de Mônica Salmaso, Leila Pinheiro, Anna Paes e Gioia Persichetti no CCBB do Rio de Janeiro dentro da série “Guinga e as vozes femininas”.

    Divulgação


    Em cada noite, serão apresentados diferentes repertórios e arranjos para temas do artista homenageado. Na estreia, quarta-feira (4), Guinga recebe a cantora italiana Gioia Persichetti (foto abaixo) e o violonista Jean Charnaux.

    Divulgação

    Já no dia 11, Mônica Salmaso (foto abaixo) e Jean Charnaux são os convidados.

    Divulgação

    Na terceira noite, no dia 18, Leila Pinheiro (foto abaixo) e o violonista Marcus Tardelli chegam junto.

    Divulgação

    E, para encerrar as comemorações no Rio de Janeiro, no dia 25, Anna Paes e o músico e compositor Thiago Amud.

    Divulgação

    Guinga ainda irá oferecer uma Masterclass no dia 20 de março e Anna Paes irá ministrar uma palestra sobre a trajetória de vida musical do compositor no dia 13 de março.
    Segundo a produtora e diretora artística, Fernanda Vogas, “a série celebra a trajetória de vida e música do Guinga, não só um dos mais importantes violonistas da história da música brasileira, como um dos compositores mais singulares de todos os tempos. A identificação de Guinga com as vozes femininas é algo que lhe é bastante característico e que vem de há muito tempo: Guinga aprendeu a tocar violão acompanhando sua mãe cantando, e desde a década de 1970 acompanhou primeiro, Clara Nunes e Elis Regina, depois Elza Soares, Nana Caymmi, Alaíde Costa, Zezé Gonzaga, Miúcha, Maria João, Leila Pinheiro, Mônica Salmaso, entre outras”.
    Além do Rio de Janeiro, a série passará por outras três cidades: 26 a 29 de março no CCBB Brasília; 25 a 28 de junho no CCBB Belo Horizonte e 05 a 08 de agosto no CCBB São Paulo.

  • SALOMÃO SOARES E VANESSA MORENO APRESENTAM CHÃO DE FLUTUAR NO SESC 24 DE MAIO (SP)

    Salomão Soares e Vanessa Moreno sobem ao palco do Sesc de Maio, na quinta-feira (5), às 21h para apresentarem o show “Chão de Flutuar”, primeiro trabalho dos artistas como duo em formato de voz e piano.

    Foto: Wanessa Luz


    Na apresentação, os artistas exploram espontaneidade, nuances rítmicas e improvisação. Passeando por diversas vertentes da música brasileira, canções como "Canção do Amanhecer", de Edu Lobo e Vinícius de Moraes, e "Correnteza", de Tom Jobim e Luiz Bonfá, ganham roupagens cheias de lirismo e sutilezas.
    Já o frevo instrumental "Ninho de Vespa", de Dori Caymmi, é executado de modo que a voz é tratada como um instrumento, conduzindo a melodia junto com o piano, buscando a escuta de novos timbres. No palco, contam com a participações da cantora Mônica Salmaso e do cantor, violonista e percussionista Renato Braz.
    Sesc 24 de Maio - Teatro (1º subsolo)- Rua 24 de Maio, 109, Centro/SP. Fone: (11) 3350-6300
    Ingressos: de R$ 12,00 a R$ 40,00

    Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc 24 de Maio

  • DANI MATTOS TOQUE DE BAMBAS FAZEM O BAILE PRÉ-CARNAVALESCO NO AL JANIAH (SP)

    Dani Mattos & Toque de Bambas trazem Sambas-Enredo que fizeram histórias no Carnaval, na quarta-feira (19), a partir das 21h30, no bar e restaurante Al Janiah, no Bixiga/SP.

    Foto: Douglas Garcia

    O público poderá conferir as mais lindas marchinhas de Braguinha, Lamartine e os sambas-enredo conhecidos do público
    Também fazem parte do repertório sambas de Assis Valente, Noel Rosa, Geraldo Pereira, Cartola, Nelson Cavaquinho, Adoniran Barbosa, Vinícius de Moraes, Chico Buarque e Paulinho da Viola.

    O grupo, formado por Dani Mattos (voz) , Tito Longo (voz e violão), Koka Pereira (percussão) e Emerson Bernardes (cavaquinho), lançou em 2019 o EP Cronistas da Cidade pelo selo 7 Melódica. O álbum traz no repertório músicas de Adoniran Barbosa, Osvaldo Moles e Paulo Vanzolini. Além de diálogos cômicos criados por Adoniran e Osvaldo Moles para as típicas personagens das novelas de rádio. E o poema “Os homes que Deus qué Bem”, de Paulo Vanzolini.

    Bar e restaurante Al Janiah - Rua Rui Barbosa, 269, Bixiga/SP
    Ingressos: R$ 10,00

    Assessoria de Imprensa: Mídia Brazil Comunicação Integrada

  • TEM ORQUESTRA MUNDANA REFUGI NO SESC 24 DE MAIO NA QUARTA-FEIRA (19)

    Formada por músicos brasileiros, imigrantes e refugiados de diversas partes do mundo, a Orquestra Mundana Refugi apresenta, sob a direção musical de Carlinhos Antunes, o repertório do CD recém lançado, Caravana Refugi.

    Foto: Daniel Kersys

    O destaque deste trabalho fica por conta da releitura da canção "As caravanas" de Chico Buarque. O disco tambem conta com temas tradicionais da Palestina, Irã, Guiné, Congo e Brasil, além de composições próprias de Carlinhos Antunes para a formação. Nas vozes, Palestina, Congo, Guiné, Irã e Brasil. Os instrumentos vão do kanun ao acordeom, passando pelo piano, violino, cítara chinesa, bouzouki, e tantos outros.

    O show ocorre na quarta-feira (19), às 21h, no Sesc 24 de Maio - Rua 24 de Maio, 109, República/SP
    Ingressos: de R$ 9,00 a R$ 30,00



     

  • SAPOPEMBA LANÇA GBÓ NA CASA DE FRANCISCA (SP)

    O cantor, ogã, percussionista e caminhoneiro Sapopemba apresenta o show do disco GBÓ na Casa de Francisca (SP) na sexta-feira (14), às 22h.

    O álbum Gbó – que significa ouça em yorubá – possui um repertório que miscigena composições próprias a cantigas de domínio público reinterpretadas por Sapopemba e convidados. Soma-se aos cantos tradicionais para os Orixás, a canção de Dorival Caymmi, É Doce Morrer no Mar, baseada no livro "Mar Morto" de Jorge Amado, e no culto à Iemanjá.

    Ao longo de 15 faixas o disco propõe exibir o cancioneiro popular afrobrasileiro que resiste, em sua maioria, na tradição oral de manifestações culturais e religiosas.

    Divulgação


    Guiado pela curiosidade de transportar, reinventar e descarregar o universo revelador de canções, ele conseguiu unir dimensões sonoras ao popular contemporâneo.

    Para Guitinho da Xambá, o artista é um maestro sinfônico dos cantos e da percussão, das ancestralidades dos Brasis africanos, indígena e mouro. "Sapopemba é um misto de natureza pura e homem construído com ferradura. Como muitos guerreiros nordestinos, ainda adolescente, nadou no curso contrário às águas do Velho Chico e seguiu do Nordeste para o Sudeste do Brasil a fim de tentar a vida na urbanidade do estado de São Paulo. Fincou um homem xangozeiro, sertanejo, macumbeiro e cosmopolita, universal por ser único".

    Casa de Francisca - R. Quintino Bocaiúva, 22 - 1º andar, São Paulo - São Paulo
    Ingressos entre R$ 35,00 e R$ 44,00

    Fonte: Site Casa de Francisca

  • BANDA CASUARINA CELEBRA JACKSON DO PANDEIRO NO TEATRO PORTO SEGURO (SP)

    A banda carioca Casuarina celebra a obra do cantor e compositor paraibano Jackson do Pandeiro com o show Cem Anos Do Rei Do Ritmo - Casuarina Canta os Sambas de Jackson do Pandeiro, no dia 13 de fevereiro, quinta-feira, às 20h, no Teatro Porto Seguro.

    O quarteto Casuarina reverencia o compositor paraibano, cujo centenário foi comemorado em 2019. Autor de uma obra extensa e influente, o paraíbano Jackson do Pandeiro, inovou e revolucionou no uso do instrumento e morreu em 1982, aos 62 anos.

    O repertório inclui músicas como Chiclete Com Banana, Samba do Ziriguidum, A Ordem é Samba e Passe na Lapa. No palco, estarão Daniel Montes (violão de 7 cordas), Gabriel Azevedo (pandeiro e voz), João Fernando (bandolim) e Rafael Freire (cavaquinho).

    Foto: Felipe Giubilei

    “O fio condutor deste projeto é essa relação do Jackson com o samba. Apesar de ser mais associado à música nordestina por motivos óbvios, ele também era um grande sambista, tinha orgulho disso, fazia questão de deixar claro que era e se considerava um sambista também. E o show será recheado desses muitos sambas que ele gravou durante a carreira”, explica o músico e compositor Gabriel Azevedo, fundador do Casuarina e diretor musical do espetáculo.

    Teatro Porto Seguro - Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos/SP. Fone: (11) 3226.7300

    Ingressos: R$ 80,00 plateia / R$ 60,00 balcão/frisas.

    Fonte: Assessoria de Imprensa Teatro Porto Seguro

  • BOCA LIVRE CANTA SUA TRAJETÓRIA DE 40 ANOS EM SÃO PAULO

         Dono de uma assinatura própria dentro da história musical brasileira, o Boca Livre chega em 2018 com um trabalho renovado e pronto para, novamente, encantar o público brasileiro.   O grupo se apresenta na Tupi or Not Tupi, na sexta-feira (30) e no sábado (1.º), às 21h30.

    Reprodução

        No ano em que completa quatro décadas de carreira, o grupo reúne canções de praticamente todos os seus álbuns de estúdio. Das obrigatórias Toada (Zé Renato/Claudio Nucci/Juca Filho),Quem tem a viola (Zé Renato/Claudio Nucci/Xico Chaves/Juca Filho),Mistérios (Mauricio Maestro/Joyce)e Folia (Lourenço Baeta/Xico Chaves), todas da própria lavra do grupo, aos sucessos eternizados pelo Boca,como Diana (Toninho Horta/Fernando Brant),Panis et circensis (Caetano Veloso/Gilberto Gil) eCruzada (Tavinho Moura/Marcio Borges). O show traz ainda novidades que estarão no próximo disco: Viola de bem querer (Breno Ruiz/Paulo Cesar Pinheiro), Vida da Minha Vida (Sereno/Moacyr Luz) e Amor de Índio (Beto Guedes/Ronaldo Bastos).
         Tupi or Not Tupi - Rua Fidalga 360, Vila Madalena, tel. 3813-7404.
         Ingressos: R$ 140,00

  • MANI PADME PARTICIPA DO PROJETO JAZZ.BR NO BOURBON STREET

        O Mani Padme Trio formado, por Yaniel Matos no piano, Sidiel Vieira no baixo acústico e Ricardo Mosca na bateria, é a atração do mês do projeto Jazz.Br- o jazz no domínio brasileiro, criado pelo Bourbon Street (SP). O show ocorre na terça-feira (27), a partir das 21h30.

    Foto: Maria Biba

         No repertório dos show, está o mais recente álbum do trio, o elogiado Vôo, com Cais, de Milton Nascimento e Ronaldo Bastos, Rosa Morena, de Dorival Caymmi, além das autorais Gotas de Rocio e Farofa, de Yaniel, e Estrada Rural e Compreensiva, de Sidiel.
        O trio ousa em suas improvisações, no lirismo que sempre foi característica marcante, na diversidade rítmica e na mistura não óbvia entre Cuba e Brasil.Criado há 5 anos, o Jazz.Br. já trouxe para a casa os maiores nomes da música instrumental brasileira. (Fonte: Maic Comunicação).
        Bourbon Street - Rua Dos Chanés, 127, Moema/SP. Fone: (11) 5095-6100
       Ingressos: R$ 35,00   

    GUILHERME ARANTES APRESENTA UMA VIAJANTE ALMA PAULISTANA

        Guilherme Arantes apresenta o show Uma Viajante Alma Paulistana, nome do seu mais recente DVD, na Casa Natura Musical (SP), na sexta-feira (30), às 22h.

        O cantor e compositor conta as histórias dos 40 anos de carreira, suas influências nacionais e internacionais e detalhes de como surgiram as músicas que construíram sua icônica discografia. Os maiores sucessos que marcaram muitas gerações serão apresentados em forma de concerto, apenas voz e piano. No repertório, pérolas como Meu Mundo e Nada Mais, Amanhã, Deixa Chover, Planeta Água, Cheia de Charme e Pedacinhos (Bye, Bye, So Long).
        O DVD triplo é dividido em sete temporadas, com mais de 90 músicas de seu vasto repertório, em que Guilherme Arantes conta as histórias de sua base musical, com o grupo de rock progressivo Moto Perpétuo, a criação de repertório para os discos, as ideias, influências e detalhes de sua trajetória. Entrevistas e diálogos com personagens curiosos dessas histórias relembram momentos e passagens de quem viveu aqueles períodos.(Fonte: Casa Natura Musical / Vivá Cultural).
        Casa Natura MusicalRua Artur de Azevedo, 2134, Pinheiros, São Paulo, Fone: (11) 3031-4143
        Ingressos: de R$ 100,00 a R$ 240,00 (com meia-entrada para todos oso setores)

  • DUO OUTROEU PASSA POR SP COM A TURNÊ COISA DE CASA

         O duo OutroEu apresenta show da turnê Coisa de Casa, na Casa Natura Musical (SP), no domingo (18), às 18h. A dupla será acompanhada por Mike Tulio (voz e violão) e Guto Oliveira (voz e guitarra) acompanhados por Tulio Martins (baixo), Mario Lima (bateria) e Victor (sanfona e teclado).
         A turnê Coisa de Casa passará pelo Brasil inteiro, tendo como base do repertório as músicas do álbum OutroEu (SLAP, 2017), entre elas os temas de novela Aí de mim (no disco, com participação da Sandy), da novela O Outro Lado do Paraíso, e O que dizer de você, da novela Tempo de Amar (ambas da Rede Globo).


        Neste show, também não faltarão sucessos como O que te faz feliz (Mike Tulio / Guto Oliveira / Juliano Cortuah), Outro Eu (Guto Oliveira / Mike Tulio), Ai de mim (Mike Tulio / Bernardo Martins / Jullie) e Coisa de Casa (Mike Tulio / Guto Oliveira). O duo OutroEu circula pelo mundo do folk, incorporando em suas canções elementos da MPB e do pop, sempre com muita versatilidade.
        Nascidos em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, Mike Tulio e Guto Oliveira são amigos desde a adolescência, tendo começado a compor juntos em meados de 2015 e, no ano seguinte, participado da terceira edição do reality global Superstar, terminando a competição em terceiro lugar. A música Coisa da Casa, composta por Mike e Guto em meados de 2015, foi a canção com maior número de votos, alcançando 93% de aprovação do público, recorde da temporada, virando, mais tarde, o primeiro single deles. Ao final da competição, eles assinaram com o selo SLAP, por onde lançaram o primeiro álbum OutroEu. (Fonte: Conteúdo Comunicação)
        Casa Natura Musical - Rua Artur de Azevedo, 2134, Pinheiros/SP
       Ingressos: de R$ 40,00 a R$ 120,00 ( com meia-entrada para todos os setores)

  • FÁBIO CARAMURU FAZ SHOW DE ENCERRAMENTO DAS COMEMORAÇÕES DOS 110 ANOS DA IMIGRAÇÃO JAPONESA NO BRASIL

         O pianista e compositor Fábio Caramuru apresenta, no Auditório Ibirapuera (SP), o concerto EcoMúsica | Brasil-Japão”. O show ocorre no domingo (18), às 19h. Um pouco antes, às 18h15, haverá apresentação do Fukuda Cello Ensemble, orquestra de violoncelos dirigida por Ricardo Fukuda, interpretando "Bolero", de Maurice Ravel
         O evento marca o encerramento das comemorações dos 110 anos da imigração japonesa no Brasil. E celebra, também, os 62 anos da Aliança Cultural Brasil-Japão, instituição consagrada de educação e cultura fundada pelo poeta Guilherme de Almeida.
         No concerto, Fábio Caramuru vai interpretar dezoito de suas composições gravadas nos álbuns EcoMúsica | Conversas de um piano com a fauna brasileira (2015) e EcoMúsica | Aves (2018).

    Divulgação


        Haverá também a projeção de três novos videoclipes: Harpia (lançado em agosto), Araras (lançado em setembro) e Hidorigamo (a ser lançado no concerto), todos dirigidos por Otavio Dias.
        A apresentação foi concebida em colaboração com a artista visual Cecilia Lucchesi, que criou videoartes a serem projetadas, bem como o roteiro de palco e a iluminação. (Fonte: Gabinete de Comunicação)
        Auditório Ibirapuera - Av. Pedro Álvares Cabral s/n – Portão 2 do Parque Ibirapuera/SP    
       Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia-entrada)

  • BASI ASSAD ESTREIA SHOW EM SP

         A cantora, compositora e violonista Badi Assad faz show de lançamento de sua nova turnê, Volta ao Mundo em 80 Artistas, com participação especial de Filipe Catto.

        O show ocorre no Teatro do Sesc Pompeia (SP), em duas noites, na quinta (11), às 21h, e na sexta-feira (12), às 18h. Badi se apresenta acompanhada pela percuteria orgânica de Simone Sou e Gabriel Levy no acordeon.

    Divulgação


        Volta ao Mundo em 80 Artistas é o primeiro livro da cantora, combustível que gerou a nova turnê homônima. Filipe é protagonista de um dos capítulos do livro, assim como Ney Matogrosso que participou da estreia no Rio de Janeiro.

        O novo show de Badi traz alguns dos sons e histórias registradas em seu livro sobre artistas da música de diversas partes do mundo, inclusive as que ela vivenciou nas tantas viagens que fez em mais de 26 anos de carreira internacional.

        No repertório, com música de estilos e etnias diversas, Badi também canta em idiomas diferentes - composições autorais, parcerias, releituras frescas ou já gravadas nos mais de 15 discos lançados pelo mundo, entre elas: O Barco Daqui de Dentro (Badi Assad), Zoar (Badi Assad e Chico César), Saudade Verdade e Sorte (Badi Assad e Pedro Luís), Bachelorette (Bjork), Acredite ou Não (Lenine e Braulio Tavares), Hunger of the Pine (Allt-J) e Millones (Camila Moreno). Tudo inspirado no conteúdo abordado em seu livro, com prefácio de Chico César.
        

    Divulgação


        O convidado - Filipe Catto é um dos grandes nomes da nova geração da música, um artista à flor da pele que no palco se entrega para seu público, em performances energéticas. Vem circulando com a nova turnê, O nascimento de Vênus, do seu último disco de estúdio, CATTO. Uma viagem pop-cigana com influências de indie rock e música brasileira. (Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc Pompeia)

       Sesc Pompeia (Teatro) - Rua Clélia, 93, Pompeia/SP. Fone: (11) 3871-7700
       Ingressos: de R$ 9,00 a R$ 30,00

  • CACÁ MACHADO APRESENTA SEU SEGUNDO DISCO

         O compositor Cacá Machado lança seu segundo disco, Sibilina, em duas apresentações no Sesc 24 de Maio (SP). As sessões ocorrem na quarta-feira (10) e na quinta-feira (11), às 21h, e têm participação de Tiganá Santana, Iara Rennó, Guilherme Wisnik e Alessandra Leão.

        A banda que o acompanha é formada por Gilberto Monte (guitarra), Zé Ruivo (teclado), Antonio Loureiro (bateria), Filipe Massumi (cello) e Joana Queiroz (sopros).

    Foto: José de Holanda


        Assim como seu primeiro disco, eslavosamba, seu novo álbum segue experimentando. Conta com 10 faixas - oito delas inéditas - e tem participações de Matheus Aleluia, Ava Rocha, Alessandra Leão, Tiganá Santana e Iara Rennó. O grande tema de Sibilina é a experiência urbana da violência e do amor, em toda a sua confusão, expressada pelas letras feitas por Machado em colaboração com nomes como Rômulo Fróes, Clima, Guilherme Wisnik e Vadim Nikitin.
        Professor do Departamento de Música do Instituto de Artes da Unicamp, Machado começou sua carreira musical como produtor e compositor de trilhas sonoras para cinema, TV e teatro. Ao longo dos anos, também se envolveu em projetos como a curadoria musical de exposições e ocupou o cargo de diretor do Centro de Estudos Musicais do Auditório Ibirapuera. Foi apenas em 2013 que seu primeiro trabalho autoral, eslavosamba, foi lançado. O álbum estabeleceu o cantor como um artista que prefere misturar influências a permanecer fiel a um único gênero musical, sempre em busca de um resultado original. Samba, choro, valsa e rumba são alguns dos sons com os quais ele brinca em suas composições. (Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc 24 de maio)
        Sesc 24 de Maio (Teatro - 1º subsolo) - Rua 24 de Maio, 109, Centro, SP. Fone: (11) 3350-6300
        Ingressos: de R$ 12,00 a R$ 40,00 

  • SESC POMPEIA (SP) RECEBE O CARNAVAL REMIX

         Depois de três edições no Rio de Janeiro, o Carnaval Remix chega a São Paulo para apresentar, no Sesc Pompeia, duas noites de baile carnavalesco fora de época.
         Na sexta-feira (5), a festa faz o lançamento de Eu cheguei na Mauá, original de DJ MAM, que foi remixada pelo paraibano Furmiga Dub com participação da Roda de Samba da Pedra do Sal (foto) e Afoxé Filhos de Gandhi Rio.

    Foto: Lari Vasco

       Já no sábado (6), é a vez do coletivo Manie Gang mandar ao vivo Ferro Velho, faixa presente no álbum de estreia da fanfarra carioca Orquestra Voadora, de 2013.


      O  Carnaval Remix é uma série de EPs que está juntando a tradição do carnaval de rua brasileiro com a pegada moderna dos DJs da música eletrônica e das novas brass bands nacionais, como a paulistana A Espetacular Charanga do França e o carioca Bloco do Afrojazz e outros expoentes do street jazz. Os populares samba, pagode, maracatu, carimbó e outros, agora ganham os beats e graves das pistas de dança, sacudindo na modernidade do trap, moombahton, dancehall e funk carioca sem perder o estilo clássico de um bom baile.
       Sesc Pompeia (Comedoria) - Rua Clélia, 93 - Água Branca, SP
        Ingressos: de R$ 6,00 a R$ 20,00
     
        Agenda:
       Sexta-feira, 5 de outubro
       21h30: Abertura com DJ MAM e cenografia digital por VJ Ratón
       22h: Roda de Samba da Pedra do Sal convida Afoxé Filhos de Gandhi Rio e Furmiga Dub

       Sábado, 6 de outubro
       21h30: Abertura com DJ MAM e cenografia digital por VJ Ratón
       22h: Orquestra Voadora convida Festa Manie Dansante com Manie Gang

  • MARINA LIMA RECEBE LETRUX NA CASA NATURA MUSICAL (SP)

         Marina Lima recebe a cantora Letrux na sexta (5), às 22h, na Casa Natura Musical (SP), para o show do seu disco recém-lançado Novas Famílias.

         Marina mostra novas canções e sucessos da carreira (como Fullgás e À Francesa) ao lado dos músicos Arthur Kunz (bateria) e Leo Chermont (guitarra), que formam o duo eletrônico STROBO, e de Dustan Gallas (teclado e baixo), músico piauiense radicado há muitos anos em São Paulo e que também é produtor musical do disco, junto à Marina.


        Novas Famílias é um álbum de composições inéditas. São duas parcerias novas com seu irmão Antonio Cicero (Juntas e Só os Coxinhas), outras em parceria com Leticia Novaes, a Letrux (Mãe Gentil), Silva (Do Mercosul), Dustan Gallas (É Sexy É Gostoso e Do Mercosul), Arthur Kunz (Mãe Gentil e É Sexy É Gostoso), além de duas músicas sozinha (Novas Famílias e Árvores Alheias). Há a regravação de um samba, Climática, da paulista Klébi Nori, que Marina considera uma pérola. O álbum conta com as participações especiais de Marcelo Jeneci (piano e vocal em Novas Famílias), Leo Gandelman e Silva (em Do Mercosul) e da própria Letrux (em Mãe Gentil). Há, ainda, uma faixa-bônus, o sucesso Pra Começar, de Marina e Antonio Cicero, gravada no álbum Todas Ao Vivo, de 1986.

  • VANESSA DA MATA APRESENTA CAIXINHA DE MÚSICA

         A cantora Vanessa da Mata apresenta seu novo CD/DVD Caixinha de Música, gravado ao vivo, no Sesc Belenzinho (SP), de quinta-feira (20) a sábado (220, às 2h130.

    Foto: Marcos Hermes


         O espetáculo, que tem direção musical do guitarrista Maurício Pacheco, apresenta três novas canções da cantora e compositora mato-grossense: Caixinha de Música, que dá nome ao novo trabalho, Orgulho e Nada Mais e Gente Feliz (esta também registrada em faixa-bônus com grupo BaianaSystem). Canções do repertório do show Delicadeza, em que Vanessa se apresentava acompanhada de piano, violão e guitarra, foram registradas nesse novo trabalho e também fazem parte da nova turnê.

  • GUINGA CONVIDA ZÉLIA DUNCAN PARA LANÇAMENTO DE PASSOS E ASSOVIO

       O compositor e violonista Guinga faz show de lançamento de seu 19º álbum da carreira, Passos e Assovio, no Sesc 24 de Maio (SP) e convida a cantora Zélia Duncan. O show ocorre na quarta-feira (20), às 21h, com a participação especial de Jean Charnaux e Nailor Proveta.

    Divulgação


          O artista começou a compor aos 16 anos, classificando sua primeira composição no II Festival Internacional da Canção (FIC), em 1967. Gravou pela primeira vez como violonista acompanhando o compositor Cartola, na canção As rosas não falam. Trabalhou, ainda, com vários outros artistas, como Clara Nunes, Beth Carvalho, Alaíde Costa, Cartola, João Nogueira, entre outros. Suas primeiras músicas gravadas foram Conversa com o coraçãoMaldição de Ravel, ambas em parceria com Paulo César Pinheiro, pelo grupo vocal MPB-4, em 1973.

    Zélia é uma das convidadas de Ginga


         Sesc 24 de Maio - Rua 24 de Maio, 109, Centro/SP. Fone: (11) 3350 6300
         Ingressos: de R$ 12,00 a R$ 40,00

    MATUTO MODERNO RECEBE ANDRÉ ABUJAMRA NA CAIXA CULTURAL SP

         A banda Matuto Moderno faz show na CAIXA Cultural São Paulo, em comemoração aos seus 20 anos. Serão quatro apresentaçõ0es, de quinta-feira 920) a domingo (230, sempre às 19h15. Apresentação da banda que divulga a música caipira com pegada de rock terá participação de André Abujamra. A entrada é franca.

         A tradição musical do sudeste brasileiro, ao som da viola caipira, parecia não ter nada em comum com o rock, até que cinco músicos se uniram para formar a banda Matuto Moderno no final dos anos 90 e derrubaram a crença de que música de raiz atrai apenas o público "mais velho". Desde então, a banda formada por Ricardo Vignini (viola caipira), Zé Helder (viola caipira e vocal), Edson Fontes (vocal e catira), Marcelo Berzotti (baixo e vocal), André Rass e Carlinhos Ferreira (percussão) tem se apresentado nos palcos mais nobres de São Paulo, em outras regiões do país e no exterior, com participações especiais de diversos artistas brasileiros.

    Foto: Ulisses Matando


         Para comemorar seus 20 anos, a banda realiza o show Matuto Moderno convida André Abujamra com uma seleção de faixas dos 5 CDs gravados. A maioria delas músicas é de autoria própria, incluindo Topada, do CD Matuto Moderno 5, feita por Ricardo Vignini em parceria com André Abujamra. Do cantor e compositor do Karnak e Os Mulheres Negras, o público também poderá recordar de Juvenar e Milho.  A apresentação vai contar com mais um percussionista, Carlinhos Ferreira, que participou do último CD do grupo. Do repertório, entrarão ainda Manacá (Ricardo Vignini e Zé Helder), Curva de Rio (Ricardo Vignini) e Ecologia Brasileira (Índio Cachoeira e Cuitelinho), gravada pelo violeiro Índio Cachoeira, da dupla sertaneja de raiz Cacique e Pajé, que morreu em abril último. Ele será homenageado, assim como Inezita Barroso e Pena Branca, pelo esforço e persistência em valorizar e divulgar a música de viola.
         Caixa Cultural São Paulo - Praça da Sé, 111 – Centro/SP. Fone:  (11) 3321-4400
        Grátis