• FERNANDO ANITELLI EM VOZ E VIOLÃO NA CASA NATURA MUSICAL (SP)

    SHOW CANCELADO

    Fernando Anitelli apresenta o show Fernando Anitelli apresenta: O Teatro Mágico Voz e Violão na Casa Natura Musical, no domingo (22), às 19h.

    Com mais de 2 milhões de álbuns vendidos, sete CDs autorais, três DVDs, quatro músicas em novelas e um dos maiores projetos da música independente nacional, Fernando Anitelli busca inspiração no cancioneiro popular para nortear o show.

    Foto: Filipe Nevares

    Apesar de o projeto O Teatro Mágico sempre ter sido marcado por suas apresentações que misturavam uma série de performances, tudo teve início no álbum solo de Anitelli (inspirado na leitura do livro O Lobo da Estepe de Herman Hesse) e em suas apresentações iniciais de voz e violão.

     

    A construção do primeiro CD, Entrada para raros, foi baseada justamente nas canções, poesias e batidas que até então eram apenas entoadas nos saraus e divulgadas na rede por Seu Odácio, pai de Anitelli. No show não faltam sucessos como O Anjo Mais Velho, Separô e O Mérito e o Monstro.

     

    "Gravamos o álbum inteiro na levada de voz e violão (sem metrônomo) e só no final resolvemos experimentar outros sons, vozes, instrumentos e ruídos. Fomos então para a segunda fase do projeto e convidamos mais de 25 pessoas para participarem dessa aventura! Saímos gravando tudo ao contrário. As peças tinham que se encaixar nas levadas e na essência da música!", lembra Anitelli.

  • RICARDO VIGNINI RECEBE CONVIDADOS ESPECIAIS EM SHOW DE LANÇAMENTO

    SHOW CANCELADO

    O violeiro e compositor Ricardo Vignini recebe convidados especiais no Sesc 24 de Maio, na sexta-feira (20), às 21h, para o lançamento de seu 19.º álbum de carreira e quarto trabalho solo, “Reviola”.

     

    São 11 faixas autorais, sendo algumas em parceria com outros artistas como Socorro Lira, André Abujamra, André Geraissati, Juca Filho, Matuto Moderno e Paulo Nunes. Nesta apresentação, Vignini toca acompa,nhado de Fernando Nunes (baixo) e Ricardo Berti (bateria) e recebe Zé Geraldo, Alzira E, Socorro Lira, Tuia e Adriana Farias, Adriano Grineberg (piano).

    Foto: Marcelo Macaue

     

    O paulistano Ricardo Vignini faz parte do duo de violas caipiras Moda de Rock com Zé Helder, no qual exploram releituras de clássicos do rock e já regravou canções de bandas como Led Zeppelin, Nirvana, Rolling Stones e Queen. Ricardo também é membro fundador da banda Matuto Moderno, que mistura rock com música caipira, completando 20 anos em 2019. Já se apresentou na França, EUA, México, Canadá e Argentina, tocando com Renato Teixeira, Pepeu Gomes, Kiko Loureiro, Andreas Kisser e Edgard Scandurra. Além disso, o violeiro também é produtor musical e apaixonado pela cultura popular.

     

    No álbum “Reviola” o artista explora a sonoridade típica de sua pesquisa relacionada à absorção dos diversos gêneros musicais para a linguagem da viola caipira. O violeiro transita entre faixas instrumentais e canções, com participações de músicos que dão vozes e acrescentam outros instrumentos às composições. Ao todo, são 17 nomes da música que participam do álbum, dentre eles: Lenine, Marcos Suzano, Guarabyra, Zé Geraldo e outros.

     

    Na faixa Alquimia, uma das músicas inéditas do CD, que teve a letra composta pelo próprio violeiro, fala sobre transformar as notícias ruins que nos desanimam em alegria: “A cada dia temos que procurar/ Cura e beleza em qualquer lugar/ Transformar a dor juntar os cacos/ Seguir em frente desviar dos buracos”. Essa canção conta com a participação de Tuia e Adriano Grineberg, convidados no dia 20 de março para tocarem junto ao artista. Algumas músicas que fazem parte do CD também são releituras de canções da carreira de Vignini.

     

    Sesc 24 de Maio ( Teatro - 1º subsolo) - Rua 24 de Maio, 109, Centro/SP. Fone: (11) 3350-6300

    Ingressos: de R$ 9,00 a R$ 30,

     

    Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc 24 de Maio

  • ELZA SOARES APRESENTA PLANETA FOME NA CASA NATURA MUSICAL (SP)

    ATENÇÃO: SHOW ADIADO POR CAUSA DO CORONAVÍRUS

    Uma das maiores cantoras do Brasil, Elza Soares apresenta, na Casa Natura Musical, o show do seu disco mais recente, Planeta Fome, no sábado (14), às 22h. O álbum é uma religação do início de sua carreira com os dias de hoje.

    Foto: Marcos Hermes

    Elza ainda era aspirante à cantora quando foi ao programa Calouros em Desfile, na Rádio Tupi, apresentado por Ary Barroso. Ao vê-la vestida com trajes pobres perguntou: "De que planeta você veio, minha filha?". E ela respondeu: "Do mesmo planeta que o senhor, do planeta fome". Naquela época Elza achava que se tivesse alimentos para ela e para os filhos, não teria mais fome.

    O tempo passou e Elza continua com fome, fome de cultura, de dignidade, de educação, de igualdade e muito mais, Elza percebeu que a fome só muda de cara, mas não tem fim. Há sempre um vazio na humanidade que a gente não consegue preencher e talvez seja essa mesma a razão da nossa existência. E é disso que se trata Planeta Fome, é essa a história que ela conta nesse álbum. 

    São muitas fomes e por isso o disco passa por tantos temas e critica tanto o Brasil, nosso lugar de fala, e que nos deixa tão famintos muitas vezes. "Eu preciso encontrar um país que onde a saúde não esteja doente/ E eficiente uma educação que possa formar cidadãos realmente", canta Elza em País do Sonho.

  • GRUPO MPB4 FAZ TRÊS SHOWS NO SESC 24 DE MAIO (SP)

    O grupo vocal MPB4 apresenta o show "Você Corta um Verso, Eu Escrevo Outro ", em que canta e conta histórias de canções que serviram à luta pela democracia e liberdade no Brasil.

    As apresentações ocorrem na sexta-feira (6) e no sábado (7), às 21h, e no domingo (8), às 18h, no teatro do Sesc 24 de Maio (SP), com participação especial da cantora Cláudia Castelo Branco.

    Foto: Camilla Guimarães


    "Você Corta um Verso, Eu Escrevo Outro ", nome do show, vem da música "Pesadelo", canção de Maurício Tapajós e Paulo César Pinheiro que o MPB4 gravou em 1972.

    O roteiro do show mistura canções já gravadas pelo grupo com outras como "Partido Alto" (Chico Buarque) e "Agora é Portela 74" (Maurício Tapajós / Paulo César Pinheiro), além de canções de autores como Geraldo Vandré, Zé Keti e Sergio Ricardo. No palco, o quarteto vocal fala, a partir de sua pesquisa do vasto material disponível sobre o tema, de histórias da censura na música popular brasileira, e canta canções que marcaram a luta pela liberdade e pela democracia no nosso país.

    Sesc 24 de Maio ver no mapa compartilhar
    Ingressos: de R$ 15,00 a R$ 50,00

    CELSO VIÁFORA ANTECIPA COMPOSIÇÕES DO NOVO TRABALHO NO TEATRO DA ROTINA (SP)

    O cantor, compositor, violonista e arranjador Celso Viáfora apresenta, em primeira mão, algumas das novas canções do seu próximo disco, com gravação marcada para o início de maio, além de relembrar grandes sucessos de sua carreira, visitando músicas de seus nove álbuns anteriores (tais como “A Cara do Brasil”, “Que Nem a Gente”, “Hoje e Nunca Mais”).
    O Show ocorre no sábado (7), às 20h, no Teatro da Rotina (SP).

    Reprodução


    Viáfora reúne, para acompanhá-lo nesse show, um trio instrumental de primeira: Webster Santos (guitarra, violão de aço, cavaquinho e bandolim), Fi Maróstica (contrabaixo) e Thiago “Big”Rabelo (bateria).
    Teatro da Rotina - Simão Álvares 697, Pinheiros/SP
    Ingressos : R$ 50,00 (R$ 25,00 - meia)

  • IZAÍAS DO BANDOLIM E CORDÃO ASSIM É QUE É HOMENAGEIAM TROMPETISTA BONFIGLIO DE OLIVEIRA

    Izaías do Bandolim apresenta-se ao lado do Cordão Assim É que É, grupo representante da nova geração do choro em SP. O encontro acontece no Teatro do Sesc Pompeia, na sexta-feira (6), às 21h, e resgata as obras do trompetista, contrabaixista, compositor e regente, Bonfiglio de Oliveira (1891- 1940).

    Nascido e criado em São Paulo, Izaias Bueno de Almeida, ou Izaias do Bandolim, tem uma vida dedicada ao choro. Na década de 50 começou a atuar como cavaquinista, ao lado do irmão Israel (ao violão), em programas de calouros na cidade de São Paulo. Por essa época integrou um conjunto ao lado do irmão e do violonista Antonio Edgard Gianor.

    Divulgação


    Em seus quase 60 anos de carreira, Izaias já teve a oportunidade de dividir solos com grandes nomes da música popular brasileira como Pixinguinha, Benedito Lacerda, Garoto, Luperce Miranda, Waldir Azevedo, Copinha, Sivuca, Altamiro Carrilho, Rossini Ferreira, Orlando Silveira, K-Ximbinho, Jacob do Bandolim, Radamés Gnatali, Paulinho da Viola, dentre outros.

                                                                                                                        Cordão Assim é que é 

     

    O grupo musical oi constituído originalmente para executar os arranjos originais de Pixinguinha registrados em dois discos lançados pela gravadora Sinter, nos anos 1950, e resgatados recentemente por meio da publicação das partituras originais realizada pelo Instituto Moreira Sales.

    O Cordão é formado por jovens músicos de destaque no cenário paulistano: Rubens Antunes (trompete); Natan Oliveira (trompete); Leandro Oliveira (flauta); André de Almeida (clarinete); Phillips Thor (bombardino); Marcos Tudeia (tuba); Henrique Araújo (cavaquinho); Gian Correa (violão); Douglas Alonso (percussão); Rafael Toledo (percussão); Alfredo Castro (percussão) e Yves Finzetto (percussão).

  • LIA DE ITAMARACÁ TRAZ SUA CIRANDA PARA O CARNAVAL DE SP

    A cirandeira Lia de Itamaracá lança o disco Ciranda Sem Fim no Sesc Pompeia, no dia 22 (sábado, às 21h30) e no domingo (23, às 18h30. O CD foi produzido pelo DJ Dolores e conta com 11 faixas.

    Divulgação


    Os admiradores da voz marcante da cirandeira mais famosa do Brasil vão conhecer uma artista que vai além de uma brincante de ciranda.

    A proposta do DJ Dolores não é desconfigurar a referência que Lia carrega enquanto referência da Ciranda, mas oferecer uma fusão entre novos e antigos sons.

    O nome do álbum também batiza uma das músicas integrantes do disco. Ciranda Sem Fim Para Lia foi um presente dado à artista pelo músico carioca Lúcio Sanfilippo durante um encontro entre os dois no Rio de Janeiro, em 1999. A faixa recorda o trabalho como merendeira, ofício desempenhado pela cantora durante 30 anos em uma escola estadual da Ilha de Itamaracá.

    Sesc Pompeia (Comedoria) - Rua Clélia, 93, Pompeia/SP
    Ingressos: de R$ 9,00 a R$ 30,00

    Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc Pompeia

  • NÁ OZZETTI APRESENTA O BAILE EMBALAR E OUTROS BALANGANDÃS NO SESC DA PAULISTA

    Nos dias 20 e 21 de fevereiro (5.ª e 6.ª-feira), às 21h, a cantora e compositora Ná Ozzetti apresenta, no Sesc Avenida Paulista, O Baile Embalar e Outros Balangandãs. O show, dançante, reunirá o repertório dos discos Embalar (2013), Balangandãs (2009) e outras canções de sua carreira.

    Das canções eternizadas por Carmem Miranda à exploração rítmica de Embalar – com canções inéditas de autores da cena contemporânea brasileira, como Luiz Tatit, Kiko Dinucci, Jonathan Silva, Joãozinho Gomes e Tulipa Ruiz –, ambos os trabalhos foram concebidos coletivamente por Ná e os músicos Dante Ozzetti, Mário Manga, Sérgio Reze e Zé Alexandre Carvalho, que a acompanharão nos shows.

    Foto: Rubens Chaves

    Neles, o público poderá bailar ao som de Imperador do samba (Waldemar Silva), Camisa listada (Assis Valente), Ao voltar do samba (Synval Silva), O tic-tac do meu coração (Walfrido Silva/Alcyr Pires Vermelho), Touradas em Madri( João de Barro/Alberto Ribeiro), Diz que tem - Vicente Paiva/Hannibal Cruz, Recenseamento ( Assis Valente), O samba e o tango ( Amado Regis), entre outras.

    Sesc Avenida Paulista ( 13º andar – Arte II) – Avenida Paulista, 119, Bela Vista/SP. Fone: (11) 3170 0800

    Ingressos: de R$ 9,00 a R$ 30,00

    Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc Avenida Paulista

  • GUINGA TOCA OS MAIS BELOS ACORDES DO SUBÚRBIO

    O compositor e violonista carioca, Guinga, apresenta o show Os Mais Belos Acordes do Subúrbio na Casa de Francisca (SP) no sábado (15), às 22h.

    Divulgação

    Guinga (Carlos Althier de Souza Lemos Escobar) é carioca da zona norte do Rio de Janeiro – o bairro de Madureira –, onde nasceu em 1950. Foi por cinco anos aluno de violão clássico de Jodacil Damasceno. Começou a compor aos 16 anos. Trabalhou profissionalmente como violonista, acompanhando artistas como Clara Nunes, Beth Carvalho, Alaíde Costa, Cartola e João Nogueira. Teve inúmeras de suas músicas gravadas por músicos como Elis Regina, Michel Legrand, Sérgio Mendes, Leila Pinheiro, Chico Buarque, Clara Nunes, Ivan Lins e tantos outros.
    Suas composições são parcerias com Paulo César Pinheiro, Aldir Blanc, Chico Buarque, Nei Lopes, Sérgio Natureza, Nelson Motta, Simone Guimarães, Thiago Amud, entre outros. Tem uma dezena de CDs gravados.

  • DE VOLTA DA EUROPA, OKKA ESTREIA SHOW NO TEATRO DA ROTINA (SP)

    “Depois de pipocar uma caixa de som em Lyon e passar fome em Bordeaux, a OKKA estreia no teatro da rotina por não conseguir pauta no SESC.”

    A estreia ocorre no domingo (16), às 18h, no Teatro da Rotina (pra ficar bem claro... rsrs) 

    Divulgação


    OKKA é uma banda formada por Dandara, Paulo Monarco, Jota Erre e Raul Misturada, todos já conhecidos da cena musical independente por seus trabalhos solos.

    A banda nasceu em 2018 do encontro entre os quatro em uma turnê na Europa durante uma temporada de residências artísticas que passou pela Suíça, França, Espanha e Alemanha. Nesse percurso intercontinental é que surgiram as canções ainda inéditas que serão apresentadas.

    De Abreu e Lima, Cuiabá, Mumbeca II, Zona Norte de São Paulo, as raízes do grupo são o que fortalecem a universalidade de sua linguagem em trânsito pelo mundo. OKKA é musica brasileira atemporal coletiva rompendo fronteiras.

    Teatro da Rotina - Simão Álvares 697, Pinheiros/SP
    Ingressos: R$ 30,00 e R$ 60,00
    Fonte: Site Teatro da Rotina

     

     MÚSICA DE MONTAGEM SE APRESENTA NO SESC BELENZINHO (SP)

    O grupo Música de Motagem sobe ao palco do Sesc Belenzinho (SP) na sexta-feira (14), às 21h, para apresentar compsições do músico paulistano Sérgio Molina.

    Foto: José de Holanda


    No repertório do show estão músicas ‘mais extensas’ como Parangolé, No Fim do Túnel e Gente Básica, mas há também a série de ‘canções-miniatura’ intituladas Melancholias, parcerias com Kleber Albuquerque e Chico César (inspiradas no filme homônimo de Lars von Trier).

    As composições interpretadas pelo grupo são de Sergio Molina, músico paulistano com extensa atuação tanto no universo da canção popular de vanguarda quanto no da música clássica contemporânea (série de peças encomendadas pelo Quaternaglia Guitar Quartet).

    Completam o septeto Joana Duah na voz principal, Clara Bastos (Orquídeas do Brasil) nos contrabaixos, Rodrigo Bragança nas guitarras e texturas eletrônicas, Priscila Brigante (bateria) e as vocalistas Alexia Evellyn e Aninha Ferrini.

  • KIKO DINUCCI FAZ SHOW DE LANÇAMENTO DO ÁLBUM RASTILHO NO SESC POMPEIA (SP)

    O compositor, violonista e guitarrista das bandas Metá Metá e Passo Torto, Kiko Dinucci, apresenta o seu novo álbum, Rastilho, gravado apenas com violão no Teatro do Sesc Pompeia (s), dia 15/2 (sábado), às 21h.

    Foto: Vitória Proença


    Neste novo disco, Dinucci mostra a versatilidade percussiva do violão, explorando ritmos e melodias que vão do violão de Baden Powell, ás linhas melódicas do guembri marroquino. O álbum conta com participação de Ogi, Ava Rocha, Juçara Marçal e um coro formado por Gracinha Menezes, Dulce Monteiro e Benta Maria.
    Rastilho foi gravado e mixado em setembro de 2019 no Estúdio Mindoca (SP) por André Magalhães e Bruno Buarque em processo cem por cento analógico (fita).
    Kiko Dinucci também é produtor e arranjador e já colaborou para artistas como Elza Soares, Tom Zé, Criolo, Jards Macalé e Baco Exu do Blues.
    Sesc Pompeia (Teatro) – Rua Clélia, 93, Pompeia/SP
    Ingressos: de R$ 9,00 a R$ 30,00
    Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc Pompeia

  • DOROTÉIA EM TEMPORADA NO SESC BELENZINHO (SP)

    O espetáculo poético de teatro gestual, dança e parkour narra a história de uma simpática velhinha, gatos travessos, encontros e amores

    Divulgação



    Até dia 16 de fevereiro, Dorotéia, a velhinha que gostava de dançar estará em temporada no Teatro do Sesc Belenzinho. O lúdico espetáculo infantil é gratuito para crianças até 12 anos, com concepção, dramaturgia e direção de Miló Martins (de A Menina e o Sabiá) que fez livre adaptação do livro homônimo de Margareth Brandini Park.

    Dorotéia gosta de ouvir e dançar as músicas que põe para tocar na vitrola, ao lado de seu gato Casimiro. A simpática velhinha segue sua alegre rotina até que a visita de uma gata desencadeia novos acontecimentos e rumos inesperados para sua vida. Baseado na linguagem visual, o espetáculo explora principalmente o teatro gestual e o parkour – a técnica de saltos e transposição de obstáculos, que em cena realça a movimentação dos gatos, os bichos de estimação que encantam as crianças.

    A atenção da plateia também é capturada pelo primoroso visual colorido, do cenário e figurinos criados por Márcio Vinícius, além da sensibilidade das luzes coloridas de Marisa Bentivegna e a luz negra que surpreende com efeitos em neon. Todos os adereços, tecidos, flores e objetos receberam uma atenção especial com trabalhos manuais de tapeçaria, crochê, tricô e bordado.

    A peça poética aborda o amor e encontros inesperados que também podem acontecer na terceira idade. No elenco, Dora Bueno como Dorotéia, Ari Willians (Augustus), Danilo Alves (gato Casimiro) e Mariana Taques (gata Catarina), que além de atores são praticantes de parkour.

  • GILBERTO GIL APORTA COM OK OK OK EM SP

         Gilberto Gil,sobe ao palco do Teatro Bradesco (SP), na quinta-feira (29), para apresentar o show  do álbum “OK OK OK”, e celebrar os 60 anos de carreira.
        No repertório, Gil passeia por clássicos como Andar com fé, A Paz, Aquele abraço, Drão, Esperando na Janela, Não Chore Mais, Palco, Toda Menina Baiana, Vamos Fugir até chegar às composições mais recentes em que propõe importante reflexão ao momento político, social e cultural do Brasil contemporâneo. No entanto, muitas surpresas ainda podem ocorrer.

    Foto: Geraldo Giaume


         Ok OK OK é o 59º disco lançado pelo artista e o primeiro de inéditas desde Fé na Festa, de 2010. Este trabalho é o espelho de um artista maduro, cidadão consciente das suas funções, poético, filosófico, reflexivo, compositor inquieto, patriarca de uma família numerosa e senhor absoluto dos ritmos. Ele segue incólume mantendo o seu conceito tropicalista, mesclando a bossa e o rock, o samba, o pop e o afoxé.Todas as 12 músicas são bem pessoais, íntimas e descompromissadas em agradar ou provar nada a ninguém, evidenciando apenas o atemporal universo particular de um artista que segue experimentando em qualquer circunstância. Gilberto Gil tem o dom de incorporar todos os aspectos do cotidiano a sua obra.
        Acompanhado de metais, backing vocal, teclados, guitarras e percussões, Gilberto Gil propõe ao público interpretações do universo particular de OK OK OK aliado a um repertório de sucessos que já são parte da vida e história do Brasil.

  • EDNARDO CELEBRA OS MAIS DE 40 ANOS DO ROMANCE DO PAVÃO MYSTERIOZO

         O cearense Ednardo apresenta, na íntegra, seu primeiro e mais famoso disco, Romance do Pavão Mysteriozo, no Sesc Belenzinho (SP), no sábado (1.º), às 21h, e no docimngo (2), às 18h.

        O show integra o projeto Álbum da unidade, que visa remontar a memória da música brasileira por meio de registros fonográficos.

    Divulgação

         Ednardo recria, mais de quatro décadas depois, o show do álbum, lançado em 1974, que consagrou sua carreira. Além de Pavão Mysteriozo, o álbum apresentado tem outros sucessos como Artigo 26, Carneiro (parceria com Augusto Pontes) e À Palo Seco (de Belchior). Completam o repertório: Avião de Papel, Mais Um Frevinho Danado, Ausência, Varal (parceria com Cabral), Dorothy Lamour (Petrúcio Maia e Fausto Nilo), Desembarque, Trem do Interior (com Fausto Nilo), Alazão (Clarões) (com Brandão) e Água Grande.
        O artista apresenta-se acompanhado por uma banda com sete músicos, incluindo a presença célebre do violeiro Manassés, que participou da gravação do disco e assinou trabalhos importantes da música brasileira, desde a década de 70. (Fonte: Verbena Comunicação)
        Sesc Belenzinho Rua Padre Adelino, 1000, Belenzinho – São Paulo (SP). Telefone: (11) 2076-9700
        Ingresso: de R$ 6,00 a R$ 12,00

    RENATO ANESI FAZ SHOW DE SEU NOVO BRABALHO PARA VIOLÃO TENOR

         O compositor, arranjador e multi instrumentista carioca Renato Anesi apresenta o show Tenor Guitar In Concert (concerto para violão tenor) – homônimo ao seu último disco –, na sexta-feira (30), às 21h, pelo Música do Foyer, no Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer.

    Foto: Gal Oppido

         No trabalho, o músico apresenta forma e técnica únicas para o violão tenor, recriando o uso do instrumento e ampliando suas possibilidades. O repertório é formado por composições autorais, além de clássicos de Ernesto Nazareth, Pixinguinha e Jacob do Bandolim – com arranjos do artista para o violão tenor.
        O álbum foi produzido por Ricardo Vignini e Renato Anesi, e conta com 10 faixas, sendo cinco autorais inéditas e cinco arranjos inéditos mesclando Jacob do Bandolim, Ernesto Nazareth e Pixinguinha, em uma reverência e propriedade das origens mais nobres da música brasileira.
         Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer Av. Pedro Álvares Cabral, s/n – Portão 2 do Parque Ibirapuera/SP. Fone: (11) 3629-1075
        Grátis

  • MESTRINHO PARTICIPA DO PROJETO MÚSICA DE RAIZ NO SESC BELENZINHO (SP)

      O compositor, cantor e acordeonista sergipano Mestrinho apresenta show do seu novo disco É Tempo pra Viver (2017), na quinta-feira (15), às 18h, no Sesc Belenzinho (SP). O show integra o projeto Música de Raiz e acontece no Teatro da unidade.

      Mestrinho (sanfona e voz) sobe ao palco do Teatro do Sesc Belenzinho acompanhado por Alex Buck (bateria), Cainã Cavalcante (guitarra), Michael Pipoquinha (baixo), Léo Rodrigues (percussão), Elton Moraes (triângulo) e Vinicinho Magalhães (zabumba).

    Divulgação


         O novo trabalho é composto por canções  autorais e alguns clássicos da música brasileira de compositores como Dominguinhos, Gilberto Gil e Gonzaguinha. O disco tem participação especial de Ivete Sangalo e Dominguinhos (em canção inédita que deixou gravada).  É Tempo pra Viver – segundo álbum solo de Mestrinho e o quarto da carreira - mostra a versatilidade do artista com a sanfona, rendendo-lhe duas indicações no 29º Prêmio da Música Brasileira, em 2018.
         Nascido em Itabaiana, Sergipe, Mestrinho (1988) é neto do tocador de oito baixos Manezinho do Carira e filho do sanfoneiro Erivaldo de Carira. Aos seis anos já tocava sanfona e aos 12, atuava com bandas da região. Aos 17 anos, mudou-se para São Paulo e formou o Trio Juriti com a irmã Thaís Nogueira, que gravou dois discos (Forró Irresistível e Cara a Cara). Mestrinho acompanhou Dominguinhos em diversos shows, inclusive na última apresentação em Exu (PE);

  • LIA DE ITAMARACA TRAZ SUA CIRANDA E SUA CULTURA PRA SP

         O Sesc Pompeia apresenta show de Lia de Itamaracá, com participação de Ilú Oba de Min e Daúde, na sexta-feira (16), às 21h30, e promove a vivência Aprendendo a Cirandar com Lia de Itamaracá, no domingo (18).

        As atividades integram o projeto Gritem-me Negra, que realiza uma série de ações com temas pertinentes às diferentes e contemporâneas realidades das mulheres negras no Brasil.

    Foto: Rogério Reis


        A noite de sexta-feira (16) traz a sonoridade pernambucana de Lia, somada aos tambores e danças do Ilú Oba de Min, além do samba, funk e maracatu comandados pelo grito de liberdade da cantora baiana Daúde. As artistas cantam canções próprias, além de músicas de outros compositores e de domínio público.
       No domingo (18), às 16h, o projeto continua na vivência “Aprendendo a Cirandar”, conduzida por Lia, que além de bater um papo, ensina o grupo a dar as passadas da brincadeira, que para ela são como as ondas do mar: “pra frente e pra trás”. A atividade é gratuita e ocorre no Deck da unidade.
       Sesc Pompeia (Comedoria) – Rua Clélia, 93, Pompeia/SP
       Ingressos do show: de R$ 9,00 a R$ 30,00

    DI MELO APRESENTA SEU NOVO TRABALHO E RECEBE A CANTORA LINIKER

         O cantor, compositor, poeta, pintor e ator recifense Di Melo apresenta canções de seu novo disco, Di Melo no Estúdio Showlivre (2018), além de interpretar músicas de Luiz Gonzaga, Baden Powel e outras surpresas. O repertório também traz hits e clássicos de seu lendário disco homônimo, lançado em 1975, e músicas do álbum Imorrível, de 2015.

    Divulgação


        O show ocorre na quinta-feira (15), às 18h30, no Sesc Pompeia (SP), e conta ainda com o swing e força da cantora Liniker. Ela divide o vocal com Di Melo nas canções Kilario e A Vida em Seus Métodos Diz Calma, além de apresentar uma releitura de Agora Ninguém Chora Mais, composição de Jorge Bem Jor.
       Di Melo sobe ao palco companhado por Peu Lima (bateria), Pedro Diniz (baixo), João Bento e Marcos Vitorianos (guitarras), Felipe Falaraco (teclados), Xavier Francisco (percussão), Luisinho Nascimento (trompete) e Flavio França (sax e flauta). Essa formação já o acompanha desde seu trabalho Imorrível.

  • MULHERES EM CENA NO SESC POMPEIA (SP)

          O Sesc Pompeia (SP) sedia a I Mostra Elas em Cena de quarta-feira (10) a domingo (15). O Sesc Pompeia fica na Rua Clélia, 93, Pompeia/SP.
         O evento apresenta cinco shows inéditos comandados por cantoras e compositoras da atual música brasileira.

    Mbeji e Mariama fazem a abertura da I Mostra em Cena

         Mariama Camara e a dupla Mbeji dão o pontapé inicial na quarta-feira  (10), às 21h30. Na noite seguinte (11), também às 21h30, Josyara e Nina Oliveira participam da programação da I Mostra Elas em Cena.

    Divulgação

         Já Laeticia e Isaar (abaixo) se apresentam na sexta-feira (12), às 18h30

     Divulgação

       O trio formado pelas cantoras e compositoras Cátia de França, Déa Trancoso e Consuelo de Paula é o convidado para se apresentar no sábado (13), a partir das 21h30.

    Divulgação

         Para encerrar a programação de shows, Alessandra e Lena Bahule se apresentam no domingo (14), às 18h30.

    Divulgação

        Além dos shows, a programação conta com cinco oficinas e rodas de conversa sobre os diferentes processos de produção artísticas de cada uma das artistas.
        Protagonizadas em sua maioria por mulheres negras, as apresentações da I Mostra Elas Em Cena são diálogos criativos entre as diversas trajetórias e referências musicais de cada uma das artistas. Trajetórias e referências com raízes no sudeste e no nordeste do Brasil e também no Continente Africano, em Moçambique e na República da Guiné. Os shows da Mostra trazem trocas entre sonoridades e processos criativos de diferentes universos musicais e sociais.
        Cante e dance como uma mulher - A I Mostra Elas em Cena leva também as artistas e o público para a sala de aula em oficinas e roda de conversa.

  • BEBA ZANETTINI RECEBE CANTORA ALEMÃ NO SHOW CANTO DA AREIA

          O pianista, compositor e arranjador paulista Beba Zanettini se apresenta no Sesc Belenzinho (SP) com participação da cantora e compositora alemã Eva Jagun. No formato sexteto, o show, que integra o projeto Jazz Clube da unidade, ocorre no domingo (14), às 18 horas.

    Divulgação


        No roteiro da apresentação estão composições do disco Canto da Areia, lançado por Zanettini em 2017, além de músicas da convidada Eva Jagun, considerada embaixadora da música brasileira em Berlim. O sexteto de Beba Zanettini (piano e teclado) traz músicos do calibre de Marcos Klis (contrabaixo), Paulo Oliveira (sax e flauta), Felipe Ávila (guitarra), Gudino Miranda (bateria) e Keila Abeid (voz).
        O show Canto da Areia sintetiza a trajetória musical de Beba, sempre norteada pela canção e pela música instrumental brasileira. Baseado em seu CD de mesmo nome, o show reverbera também em trabalhos instrumentais desenvolvidos com os grupos Café Jam e Aquilo Del Nisso e no seu lado compositor de canções que resultou no primeiro CD solo, Beba Música! (2009).  O público vai apreciar um espetáculo que mescla ritmos como o samba, o choro, o jazz, a bossa-nova e a world music. (Fonte: Verbena Comunicação)
       Sesc Belenzinho (Teatro) – Rua Padre Adelino, 1.000, Belenzinho/SP. Fone: (11) 2076-9700
       Ingressos: de R$ 6,00 a R$ 20,00

  • BLOCO AFRO ILÊ AIYÊ OCUPA SP

          Primeiro bloco afro do Brasil, o Ilê Aiyê desembarga em São Paulo, com alguns integrantes, para realizar dois shows no Auditório Ibirapuera, na sexta-feira (5) e sábado (6), às 21h.

         As apresentações fazem parte da Ocupação Ilê Aiyê que tem início na quarta-feira (3), no Itaú Cultural e permanece até  6 de janeiro de 2019.

    Foto: Richner Allan


        Os espetáculos contam com 15 componentes do Ilê Aiyê, entre percussionistas, dançarinas, vocalistas e a Deusa do Ébano deste ano, Jéssica Nascimento, que recebem convidados no Auditório Ibirapuera. No primeiro dia (5), se apresentam com eles os grupos de São Paulo Ilú Obá De Min, formado por mulheres, e Ilú Inã, apadrinhado do Ilê. No segundo (6), as convidadas são as baianas Xênia França e Luedji Luna.

        Ocupação - O Ilê leva à 42ª exposição da série de ocupações, promovida pelo instituto, a sua força, cores, música e história, que ultrapassam o Carnaval e o transcendem no cotidiano como um grito de resistência, luta e afeto. Atração consagrada do Carnaval de Salvador, a agremiação nasceu para combater o racismo e o silenciamento dos negros que eram recusados no circuito oficial do Carnaval baiano. Foi classificado de racista por não aceitar brancos. Passados 44 anos, eles mantêm o preceito de desfilar apenas com negros e continuam questionando o racismo e o emudecimento dos negros na sociedade brasileira.

       Quatro cores definem cada um dos eixos principais da Ocupação Ilê Aiyê. Primeiro, a cor preta, da pele e da história dos homenageados. Em seguida, a vermelha representando o sangue derramado na luta pela libertação. Depois, vem a amarela, símbolo da riqueza cultural e da beleza negra. Encerra com a cor branca, da paz e da cura. Todas elas estão representadas na sua identidade visual, desenhada pelo artista Jota Cunha: uma máscara africana com quatro búzios abertos formando uma cruz na testa. O autor a chamou de perfil azeviche.
       Além da mostra, a Ocupação Ilê Aiyê é composta de site, publicação impressa e programação em sinergia com o tema. Ferramentas de acessibilidade permeiam o espaço expositivo. Durante toda a exposição, no instituto haverá oficinas e outras atividades.(Fontes: Conteúdo Comunicação e Boa Ventura Comunicação)

        Ocupação Ilê Aiyê (até 6/1/2019)
        Itaú Cultural - Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô/SP. Fones: (11) 2168-1777

        Shows
        Auditório Ibirapuera -Av. Pedro Álvares Cabral, s/n – Portão 2 do Parque Ibirapuera/SP. Fone: 11.3629-1075
        Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia  entrada)

  • NÁ OZZETTI E LUIZ TATIT CELEBRAM AMIZADE NA CASA DE FRANCISCA (SP)

          Ná Ozzetti e Luiz Tatit se reencontram na Casa de Francisca, na sexta-feira (5), às 22h.

          Adotando formação reduzidíssima (violão e vozes), os artistas pretendem apresentar diversas parcerias feitas ao longo do tempo e canções que fizeram parte de seus respectivos álbuns, como Meu Quintal, Equilíbrio, Atração Fatal, Estopim, Crápula, Capitu, Musa da Música e Sem Destino, além de retomar músicas que marcaram o início comum de suas carreiras no Grupo Rumo e na chamada "vanguarda paulistana" (como Ah!, Ladeira da Memória, Release e Dia Útil). O trabalho da dupla conjuga interpretações audaciosas com letras ao mesmo tempo intensas e bem humoradas.
         Casa de Francisca – Rua Quintino Bocaiúva, 22, Sé/SP.Fone: (11) 3052-0547
         Ingressos: R$ 62,00

  • CELSO FONSECA APRESENTA REPERTÓRIO DE TURNING POINT

         O cantor, compositor e produtor musical carioca Celso Fonseca apresenta o show Turning Point no Sesc Belenzinho, no domingo (23), às 18h.
         O espetáculo, no formato de quarteto, é baseado em seu 15º álbum, lançado pela Universal Brasil. A sonoridade do disco (e show) Turning Point combina programações eletrônicas com o conceito das canções atemporais, característico do trabalho do artista.

    Divulgação

         No repertório, além de músicas autorais do novo álbum - como a releitura de Sparks (Coldplay), Desliga a Luz (parceria do compositor com Erika Ender, autora do hit Despacito) e Turning Point - estão composições mais antigas como: Sorte (gravada por Gal, Caetano e Tiago Iorc), Slow Motion Bossa Nova (parceria dele com Ronaldo Bastos) e a versão do funk Ela Só Pensa em Beijar (de MC Léozinho, gravada por Celso, em 2006). Outras releituras nacionais e internacionais também estão no programa.

        O disco Turning Point dá continuidade ao trabalho que Celso Fonseca vem fazendo ao longo da sua carreira, marcado pela diversidade de influências. Sua ligação com a bossa nova e com a MPB é a mesma que ele tem com a música pop, com o jazz e até com a música eletrônica que, segundo ele, é uma continuidade do que já se fazia, desde a década de 70, com as primeiras bandas do gênero como Tangerine Dream, Kraftwerk e o próprio Brian Eno. (Fonte: Verbena Comunicação)
        Sesc Belenzinho - Rua Padre Adelino, 1000. Belenzinho/SP. Fone: (11) 2076-9700
        Ingressos:  de R$ 6,00 a R$ 20,00

     MART'NÁLIA INAUGURA NOVO ESPAÇO DE SHOW DO SESC BOM RETIRO (SP)

         A cantora Mart’nália  faz faz na quinta-feira (20), às 21h30, na inauguração do novo espaço de shows do Sesc Bom Retiro (SP), a Comedoria. Na estreia deste novo espaço, o show + Misturado, que Mart’nália intercala grandes sucessos da carreira no samba, com pérolas das MPB.

    Divulgação


       Misturando e juntando tudo, o álbum + Misturado, é o 11º de sua carreira iniciada há mais de 30 anos, em 1987, quando gravou seu primeiro LP. Neste álbum, Mart’nália regrava a faixa Tempo de Estio, de Caetano Veloso, de quem esperava uma canção inédita. “Resolvi não chatear o Caetano cobrando a música. A letra de Tempo de Estio é uma alegria só”, disse a cantora para a Rolling Stone, em 2017. E será nesta alegria e mistura que neste show, a cantora vai cantar todos os grandes sucessos de sua carreira e músicas que fazem parte do álbum, lançado em 2017.

        + Misturado venceu a categoria de Melhor Álbum de Samba do Grammy Latino e a cantora venceu a categoria Melhor Cantora de Samba do Prêmio da Música Brasileira, ambos do ano passado. (Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc Bom Retiro (SP).
        Sesc Bom Retiro - Alameda Nothmann, 185, Campos Elíseos/SP. Fone: (11) 3332-3600
       Ingressos: de R$ 9,00 a R$ 30,00